Covid-19

Um morto e 30 internados entre os 77 infetados de lar de Torres Vedras

Um morto e 30 internados entre os 77 infetados de lar de Torres Vedras

Um idoso do Lar de Nossa Senhora da Luz, no concelho de Torres Vedras, onde se regista um foco de covid-19, morreu e 30 outras pessoas com resultados positivos mantêm-se internadas.

Em comunicado, o lar, localizado em Paradas, na freguesia de A-dos-Cunhados, confirmou a morte de um dos utentes que se encontrava hospitalizado, um idoso de 93 anos, "que, além de outras morbilidades, tinha um grave problema ao nível da diabetes" e ao qual "já havia sido amputada uma perna", há cinco anos.

De acordo com a direção do lar, na sequência do foco detetado no dia 3 de agosto, há ainda "cerca de 30 pessoas hospitalizadas" por necessitarem de cuidados médicos.

O surgimento de casos de infeção levou à realização de testes aos 80 residentes, todos com mais de 80 anos, e 78 funcionários do lar, tendo sido identificados inicialmente 48 residentes e 24 trabalhadores com resultados positivos.

De acordo com boletim de situação epidemiológica do concelho de Torres Vedras, no distrito de Lisboa, até ao final do dia de terça-feira o número total de casos positivos na instituição tinha subido para 77.

As 30 pessoas internadas distribuem-se pelos hospitais de Torres Vedras, Abrantes e Santa Maria (em Lisboa).

Entre os 78 funcionários, há 24 que estão de quarentena por terem testado positivo, sendo que estão já programados novos testes para os dias 12 e 19 de agosto, segundo informações da DGS.

Para garantir que os utentes continuam a receber os cuidados necessários, a Cruz Vermelha disponibilizou dois auxiliares de ação médica de saúde para colmatar a ausência dos trabalhadores que estão doentes.

Segundo o subdiretor-geral da Saúde, Rui Portugal, o lar foi dividido em três zonas: uma onde se encontram as pessoas que testaram positivo, outra onde estão os utentes que tiveram um teste negativo, mas que terão estado eventualmente em contacto com doentes, e finalmente uma zona das pessoas negativas, mas com sintomas.

No comunicado emitido hoje, a direção do lar afirma que "tudo tem sido feito para manter as pessoas, infetadas ou não infetadas, com as condições de apoio médico, alimentar e de higiene pessoal de que necessitam".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG