Motociclismo

Piloto que morreu em prova de motocross trabalhava na Força Aérea

Piloto que morreu em prova de motocross trabalhava na Força Aérea

A morte súbita de um piloto de motocross, este domingo à tarde, no decurso da última prova do nacional de enduro levou à suspensão da 8.ª edição do "Enduro de Marco de Canaveses - Rios de Emoção".

O piloto natural de Felgueiras, Filipe Nunes de 42 anos, ter-se-á sentido indisposto, parou a mota e de seguida caiu inanimado. Assistido pelos bombeiros do Marco de Canaveses, o óbito acabaria por ser declarado no local pela equipa da VMER do Vale do Sousa, entretanto acionada pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Porto.

Filipe Nunes trabalhava na Força Aérea na Esquadra 552, na Base Aérea nº11, em Beja. Nas motos de enduro, um hobby para o piloto, Filipe Nunes corria precisamente na Classe Hobby.

Em comunicado, o Motor Clube do Marco (MCM) explica que "logo que foi tomado conhecimento da gravidade da situação, o júri da prova decidiu parar de imediato a corrida. Fruto desta situação, as cerimónias de pódio foram suspensas". Contactada pelo JN, a direção do MCM remeteu para mais tarde eventuais esclarecimentos adicionais.

Até ao final da tarde, a Federação Portuguesa de Motociclismo ainda não tinha revelado qual será o desfecho da prova desportiva. Refira-se que esta prova ia decidir o campeão nacional absoluto, com quatro pilotos em disputa pelo título.

Outros Artigos Recomendados