Matosinhos

Sindicato acusa Super Bock de chantagear trabalhadores para travar greve

Sindicato acusa Super Bock de chantagear trabalhadores para travar greve

O Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (SINTAB) denunciou, esta terça-feira, que a Super Bock "está a chantagear" os trabalhadores para não aderirem à greve convocada para os dias 5, 6, 7, 8, 9 e 10 de agosto. Em causa está um possível corte de 30% do salário.

O sindicato afirma que tem recebido várias denúncias de trabalhadores da Super Bock, com sede em Leça do Balio, Matosinhos, que dizem estar "a ser vítimas de abordagem direta, quer das suas chefias, quer de altos quadros do departamento de recursos humanos, ameaçando-os com o corte integral do subsídio de escala previsto nos acordos de laboração contínua recentemente assinados entre a empresa e os trabalhadores".

Em causa, explica o SINTAB, está uma cláusula que, tanto a Comissão de Trabalhadores como o SINTAB, "consideram abusiva e inadmissível", uma vez que exige a "ausência de quaisquer ações de luta durante a sua vigência".

PUB

"A inscrição de qualquer cláusula, em qualquer acordo, que retire aos trabalhadores o direito de lutar pela melhoria dos seus direitos, salários, e condições de trabalho, além de obscena e ilegal, representa uma aberração social que devia envergonhar os seus responsáveis", critica o sindicato.

O sindicato explica ainda que a greve de seis dias foi convocada na sequência "da indisponibilidade da empresa para assegurar aumentos salariais em 2021, coerentes com a distribuição de lucros pelos acionistas, nada tendo a ver com a laboração contínua".

A empresa, contactada pela Lusa, "refuta liminarmente" a acusação do sindicato e "repudia veemente as alegações proferidas por serem manifestamente inverdadeiras", acrescentando ainda que "sempre pautou e pautará a sua atuação pelo cumprimento escrupuloso da lei". "Nesta, como nas anteriores greves, a empresa sempre respeitou a decisão dos trabalhadores", refere a mesma fonte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG