Autárquicas

Aires Pereira é candidato a um último mandato na Póvoa de Varzim

Aires Pereira é candidato a um último mandato na Póvoa de Varzim

"Um concelho forte e coeso". "Uma Póvoa cada vez mais solidária, mais competitiva e mais sustentável". São estas as premissas de Aires Pereira para um terceiro e último mandato à frente da Câmara da Póvoa de Varzim.

A candidatura do PSD - câmara, assembleia municipal e juntas - foi apresentada hoje e, como "equipa que ganha, não mexe", apenas em Laundos há uma cara nova. Félix Marques sucede a António Pontes, que, por força da lei de limitação de mandatos, deixa, este ano, a junta.

Quer para a Póvoa - essa que se levantou em uníssono contra uma estilista norte-americana que lhe quis "roubar" a camisola poveira -, cada vez mais, "qualidade de vida" e "igual em todo o concelho".

Nos últimos quatro anos, diz, "fizemos tudo o que nos comprometemos e muito mais": o mercado, as obras no Bairro da Matriz, a requalificação do Bairro dos Pescadores, o parque inclusivo, os parques verdes nas freguesias, a Garagem Linhares e a nova marina "são apenas alguns exemplos". A confiança é, por ali, palavra de ordem.

O investimento nas pessoas é para continuar, porque "são elas que importam", frisou o edil, recordando a frase que lhe saiu "do fundo", a 29 de fevereiro de 2020, quando a Póvoa foi a primeira a entrar em quarentena, depois do diagnóstico de covid-19 do escritor Luís Sepúlveda, dias depois de ter estado no Correntes d"Escritas - Encontro de Escritores de Expressão Ibérica.

Na pandemia, o município "esteve lá": atendeu mais de cinco mil pessoas, pôs gente no terreno, reforçou apoios, distribuiu alimentos e medicamentos, pagou transportes, ajudou lares e IPSS.

Com IMI no mínimo, sem derrama e uma devolução de 1% no IRS, a Póvoa atraí, agora, cada vez mais gente e mais empresas - uma das mais baixas taxas de desemprego do distrito e os novos investimentos da Mercadona, d'A Poveira (conserveira) e da Ecosteel são, sublinha, disso prova viva.

PUB

Agora, frisa, há já uma Estratégia Local de Habitação gizada, com um investimento previsto de 26 milhões de euros e um Plano Estratégico 2020/2030 de 217,5 milhões. Não se fará em quatro anos, mas Aires Pereira quer dar o "pontapé de saída".

Promete manter a premissa que o elegeu - trabalhar pela Póvoa -, ouvir todos e, em dia de anúncio dos candidatos, deixa já um pedido: que a campanha seja encarada "com humildade, respeitando todos".

Por agora, fica já uma promessa: porque há muitos a passar dificuldades, não haverá gastos desnecessários e, por isso o PSD/Póvoa já decidiu que não fará outdoors.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG