O Jogo ao Vivo

Tribunal do Porto

Praça de Touros da Póvoa de Varzim começa a ser demolida

Praça de Touros da Póvoa de Varzim começa a ser demolida

A praça de touros da Póvoa de Varzim, distrito do Porto, começou hoje a ser demolida, depois de um interregno de dois anos devido a uma providência cautelar interposta por uma associação local, a que o tribunal não deu provimento.

As operações começaram esta manhã, depois de a autarquia ter recebido, na quinta-feira, a informação de que a decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto transitou em julgado, dando luz verde para que as obras para a construção de um pavilhão multiusos, que vai ser erguido no mesmo local, possam avançar.

A obra, com um custo previsto de cerca 9 milhões de euros, foi anunciada em 2019, mas no ano seguinte, já depois do lançamento do concurso público para a empreitada, o processo de demolição foi travado pela Justiça, na sequência de uma ação movida pela Patripove (Associação de Defesa e Consolidação do Património Poveiro).

PUB

A associação considerava que o equipamento devia ser "preservado e não demolido", apontando que o mesmo faz parte "do património imaterial da memória de gerações de poveiros e da memória da cultura popular Portuguesa".

Já em março deste ano, Aires Pereira, presidente da Câmara da Póvoa de Varzim, revelou que, após análise, o tribunal indeferiu a providência cautelar, permitindo à autarquia ratificar, em Assembleia Municipal, o Plano de Pormenor para aquela zona da cidade, contemplando o novo equipamento.

"Já não existe providência cautelar. Com a publicação do Plano Pormenor da Zona E54 em Diário da República, teremos condições para pôr as coisas em andamento. O Tribunal Administrativo [e Fiscal do Porto] pura e simplesmente decidiu que não havia lugar a providência cautelar e que todos os argumentos utilizados não faziam sentido", disse na altura o autarca.

Agora, volvidos seis meses, a sentença transitou em julgado, e a Câmara da Póvoa de Varzim iniciou a demolição do espaço, sendo que até ao início desta tarde, metade do equipamento já tinha sido destruído, como constatou a Lusa no local.

A operação de demolição vai prolongar-se nos próximos dias, para libertar a área para construção do novo espaço multiusos, apelidado Póvoa Arena, que não contempla receber corridas de touros, e terá capacidade para 3.000 pessoas, para eventos culturais, feiras, congressos e atividades desportivas, incluindo ainda estabelecimentos comerciais e de restauração.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG