Almada

Construção de nova via ameaça Terras da Costa

Construção de nova via ameaça Terras da Costa

A construção da Estrada Regional (ER) 377-2, entre a Costa de Caparica e a Fonte da Telha, em Almada, está a ser fortemente contestada. Em causa, a destruição de terras agrícolas e de uma parte da Mata dos Medos.

"Vai ter um impacto ambiental tremendo: a língua de terras cultivadas será extremamente reduzida", queixa-se José António Pereira, coordenador do Movimento "Uma Charneca para as Pessoas". "O aterro será monstruoso. Vamos ter um monstro aqui sem qualquer necessidade de ser construído", adverte, anunciando que já foi posto a circular um abaixo-assinado em defesa das Terras da Costa, que será enviado à Assembleia da República.

"A ideia é fazer pressão para que algumas das prerrogativas de protecção destas terras se exerçam", adianta José António Pereira, fazendo referência ao parecer desfavorável emitido pela Direcção Regional de Agricultura à Avaliação de Impacte Ambiental.

O documento, a que o JN teve acesso, refere que as Terras da Costa "apresentam condições edafo-climáticas muito favoráveis à horticultura" e salienta que "a obra feita em aterro inviabiliza a exploração das parcelas agrícolas". Neste sentido, denuncia o facto de o projecto produzir "impactes negativos extremamente gravosos e irreversíveis em termos agrícolas".

"Esta estrada, além dos danos que causa a nível ambiental, vai destruir uma zona agrícola importante que é sustento de muitas famílias", alerta também a advogada Antónia Falcão Miranda, mandatária da Quercus, associação de defesa do ambiente que tem a correr no Tribunal Administrativo de Almada uma acção para requerer a nulidade da Declaração de Impacte Ambiental.

No entender da advogada, a existência de alternativas viárias naquela zona anula todas as justificações dadas para a construção de uma estrada muito semelhante à Via Turística proposta em 1995 pela Câmara de Almada, que foi reprovada pelo Supremo Tribunal Administrativo.

"Há uma estrada que serve perfeitamente e que, quando muito, podia ser melhorada. Temos já duas estradas e, agora, quer-se fazer uma estrada no meio", frisa Antónia Falcão Miranda, para quem "o projecto de execução está a ser feito em violação de algumas condicionantes que foram impostas".

A construção da Regional 377-2, prevista em três planos de pormenor do Polis da Costa de Caparica, irá destruir, por outro lado, "cerca de 5,5 hectares" da Mata dos Medos, admitiu ao JN fonte da Costa Polis. "É uma via estruturante que permite o acesso às praias da Costa de Caparica, à Fonte da Telha e aos novos Parques de Campismo no Pinhal do Inglês", alega a sociedade que gere o programa Polis.

"O traçado actual foi desenvolvido no sentido de adaptar a via o mais possível aos limites da mata e ao terreno natural, minimizando a movimentação de terras e consequente ocupação de solos", avança, por outro lado, a Estradas de Portugal. Segundo a empresa, "não está ainda definida a área da Mata dos Medos que efectivamente será afectada", nem é ainda possível "quantificar com rigor as áreas agrícolas directamente afectadas pela construção da via".

ver mais vídeos