Ambiente

Alunos vão ter aulas sobre alterações climáticas em Itália

Alunos vão ter aulas sobre alterações climáticas em Itália

A partir de setembro de 2020, alunos de escolas públicas italianas vão ter aulas sobre sustentabilidade e alterações climáticas. Se a medida se concretizar, Itália será um dos países na linha da frente da educação ambiental.

A medida proposta pelo ministro da Educação de Itália, Lorenzo Fioramonti, está a ser comentada por vários meios de comunicação social em todo o mundo. Numa estratégia sem precedentes, o país do "dolce far niente" (prazer de não fazer nada) pode tornar-se o primeiro a integrar aulas sobre alterações climáticas no sistema educativo público.

As aulas de 33 horas (por ano letivo) deverão começar já a partir de setembro de 2020. Antes, os professores terão formação, em janeiro do próximo ano, com alguns especialistas de renome como Jeffrey D. Sachs, atual diretor do Centro de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Consoante as idades dos estudantes, a estratégia das aulas será adaptada: crianças dos 6 aos 11 anos vão aprender sobre ambiente através de histórias, a partir dos 12 anos será ensinada informação mais técnica e os mais velhos vão esmiuçar a agenda de 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável.

Lorenzo Fioramonti já não é novo nas questões relacionadas com o ambiente. Foi criticado quando incentivou que os estudantes italianos se juntassem aos protestos contra às alterações climáticas, em solidariedade com a ação de Greta Thunberg, ativista sueca que faltava às aulas para se manifestar pelo clima.

Recebeu ainda a contestação dos conservadores em Itália quando defendeu impostos sobre o açúcar e o plástico. Fioramonti foi eleito em março de 2018 pelo Movimento Cinco Estrelas, que recusa a designação de "partido" e intitula como "antissistema".

Matteo Salvini do partido Liga Norte (de extrema-direita) ocupou os cargos de Ministro do Interior e de vice-primeiro-ministro de Itália. Considerado um homem forte da política italiana é assumidamente cético no que toca às alterações climáticas.

PUB

A Liga Norte já teve de boas relações com o Movimento Cinco Estrelas, porém, este é um assunto em que a concordância jamais existirá. O partido de Salvini, que já esteve no poder, retirou-se da coligação que governa a Itália desde setembro deste ano, liderado por Giuseppe Conte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG