Atentado

As identidades das 22 vítimas do ataque em Manchester

As identidades das 22 vítimas do ataque em Manchester

Foram identificadas as 22 vítimas mortais do ataque de segunda-feira na Arena de Manchester, no final do concerto da cantora norte-americana Ariana Grande.

Georgina Callander, 18 anos

Georgina foi a primeira vítima mortal cuja identidade foi confirmada pelas autoridades. A adolescente está a ser recordada com saudade nas redes sociais, como alguém "querido" que, naturalmente, "não merecia" o que lhe aconteceu.

Saffie Rose, 8 anos

Saffie, residente em Lancashire, estava no concerto de Ariana Grande com a mãe, Lisa Roussos, e a irmã, Ashlee Bromwich, quando foi apanhada no meio do atentado, levado a cabo por um bombista suicida que se fez rebentar com "um explosivo improvisado". Mãe e irmã sobreviveram. Saffie morreu.

"Saffie era uma menina linda em cada sentido da palavra. Era adorada por todos, era de uma generosidade que vai ser lembrada para sempre", recordou Chris Upton, diretor da Escola Primária de Tarleton Community, onde a criança de oito anos estudava.

A notícia da sua morte foi um "choque tremendo" para professores e colegas, a quem vai ser disponibilizado apoio psicológico. "A ideia de que toda a gente pode ir a um concerto e não regressar a casa é de partir o coração", lamentou Chris.

John Atkinson, 26 anos

John Atkinson, de Radcliffe, estaria a sair do concerto quando foi atingido. Nas homenagens nas redes sociais prestadas por familiares e amigos, está a ser relembrado como um "homem extraordinário".

Angelika Klis, 40 anos, e Marcin Klis, 42 anos

O Ooverno da Polónia confirmou a identidade destes dois cidadãos polacos mortos no ataque de segunda-feira. A filha de Angelika Klis e Marcin Klis, agora órfã, lançou o alerta do desaparecimento dos pais nas redes sociais.

Kelly Brewster, 32 anos

A família de Kelly, de Sheffield, confirmou a sua morte. Segundo relatos na imprensa britânica, o corpo da vítima protegeu a sobrinha de ser atingida pelo explosivo. Kelly Brewster deixa uma filha.

Olivia Campbell, 15 anos

A mãe de Olivia partilhou, no dia seguinte ao atentado, no Facebook, uma mensagem em que dava conta da morte da filha. No mesmo dia, Charlotte Campbell já tinha deixado em lágrimas os pivôs de um canal de televisão que a entrevistavam.

Alison Howe, 45 anos, e Lisa Lees, 47 anos

Alison e Lisa, mães de duas jovens que assistiram ao concerto de Ariana Grande, esperavam as filhas à porta da Manchester Arena quando a bomba explodiu. Foram dadas como desaparecidas, mas as famílias informaram, na terça-feira à noite, que acabaram por morrer. As filhas encontram-se bem de saúde.

Martyn Hett, 29 anos

Martyn, relações públicas inglês, foi a décima vítima mortal a ser conhecida. A notícia foi avançada pelo namorado, no Twitter, na quarta-feira de manhã. "Deixou este mundo exatamente como o viveu, no centro das atenções", escreveu Russel Hayward.

Nell Jones, 14 anos

Estava desaparecida desde a noite do ataque. A diretora da escola onde Nell estudava disse, mais tarde, ao "Express.co.uk": "Foi agora anunciado na escola que, infelizmente, a Nell morreu. Já fiz seis reuniões para contar aos alunos. As crianças estão a chorar por todo o lado. Estamos todos devastados".

Jane Tweddle-Taylor, 51 anos

Jane deixou três filhas: "Era cheia de vida, muito enérgica com as crianças", disse o companheiro à BBC. Jane Tweedle-Taylor trabalhava como rececionista numa escola de Blackpool, cuja diretora a lembrou como "uma amiga e colega maravilhosa".

Megan Hurley, 15 anos

Megan e o irmão, Brad, de 20 anos, foram de Liverpool a Manchester para ver o concerto de Ariana Grande. Megan não sobreviveu e Brad ficou gravemente ferido.

Chloe Rutherford, 17 anos, e Liam Curry, 19

Eram namorados e, contam as famílias, "eram perfeitos um para o outro. Estavam destinados a estar juntos", disseram os pais num comunicado conjunto. "Queriam ficar juntos para sempre e agora ficaram".

Sorrell Leczkowski, 14 anos

"Toda a comunidade escolar está extremamente chocada e triste e, neste momento tão difícil, os nossos pensamentos estão com a família e os amigos de Sorrell", afirmou a diretora da escola que a adolescente frequentava, em Leeds. "Ela adorava estudar e tinha um grupo de amigos muito querido".

Michelle Kiss, 45 anos

Mãe de três filhos, Michelle tinha ido ao concerto com um deles, Millie, que sobreviveu ao ataque. "A família era a sua vida e estamos, obviamente, devastados, com a sua perda. Foi-nos tirada da forma mais traumática que se possa imaginar"- escreveu a família em comunicado.

Eilidh MacLeod, 14 anos

A morte de Eilidh na Manchester Arena foi confirmada pelos pais três dias depois do ataque: "A nossa família esta devastada e não há palavras que possam expressar o que sentimos depois de perdermos a nossa querida Eilidh". Numa mensagem pública, os pais lembraram a filha como uma jovem "cheia de alegria. Adorava música, fosse a ouvir Ariana Grande ou a tocar gaita-de-foles com a sua banda".

Wendy Fawell, 50 anos

Wendy estava no concerto com a filha Charlotte, de 15 anos, que ficou ferida, mas sobreviveu. A morte de Wendy foi confirmada pelo seu filho mais velho, Adam, de 29 anos ao "Yorkshire Post": "O apoio que temos recebido dos amigos e da família é inacreditável".

Courtney Boyle, 19 anos, e Philip Tron, de 32

Courtney e o padrasto, Philip, morreram no ataque. Ambos foram lembrados com muita emoção em dezenas de mensagens públicas.

Agente da Polícia inglesa

Uma agente da Polícia que estava de folga também morreu no ataque. O seu nome e idade não são ainda conhecidos.

A polícia britânica identificou o autor do atentado como Salman Abedi, de 22 anos, nascido em Manchester, de origem líbia. O atacante terá viajado de comboio de Londres para Manchester e já era conhecido das autoridades. O Governo francês avançou que o bombista, morto no ataque, ter-se-á radicalizado depois de uma viagem à Síria.

O ataque foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, que identificou Salman Abedi como um "soldado do califado". Esta quarta-feira, a ministra do Interior britânica, Amber Rudd, disse que o autor do ataque "provavelmente não agiu sozinho".

Na terça-feira de manhã, a polícia deteve um homem de 23 anos, no sul de Manchester, suspeito de ter ligações ao ataque. Esta quarta-feira, foram detidos mais três homens.

Outros Artigos Recomendados