Espanha

Autorizado resgate de cães cercados por lava do vulcão em La Palma

Autorizado resgate de cães cercados por lava do vulcão em La Palma

O governo espanhol autorizou o resgate dos três cães que estão presos, há duas semanas, numa zona rodeada de lava na ilha de La Palma, em Espanha. Um drone, mais forte que aquele que lhes tem levado sustento, será usado para os tirar da zona queimada pelo vulcão "Cumbre Vieja", que acordou das profundezas da terra há um mês.

O resgate foi autorizado pelo Comité Dirigente do Plano de Emergências Vulcânicas das Canárias (Pevloca, na sigla original) e começou a ser posto em marcha na segunda-feira, com a chegada de uma equipa de uma empresa especializada em trabalhos com drones.

A Aerocamara está no terreno a estudar a melhor forma de resgatar os cães, que têm sido alimentados por drones de pequenas dimensões nas últimas duas semanas. "É uma manobra sem precedentes, algo nunca feito no mundo. Mas, a alternativa a isso é deixar que morram", disse Jaime Pereira, da empresa que vai tentar o resgate, citado pelo jornal espanhol "El País".

Detalha aquele jornal espanhol, que o processo requer tempo para ser executado. A empresa vai começar por usar os drones para levar comida e água aos cães, para os habituar à presença e ao ruído dos aparelhos, aproveitando os peritos par estudar o terreno e avaliar a melhor forma de resgatar os canídeos.

Quando houver condições, a empresa, com sede na Galiza, pretende usar um drone de carga para resgatar os cães, com apoio de outro aparelho do mesmo género.

O resgate foi anunciado esta terça-feira, quando se completa um mês desde que o "Cumbre Vieja" ganhou novo fôlego, deixando a vida de milhares de pessoas em suspenso.

PUB

Foi um mês sem descanso para a população da ilha, confrontada com uma catástrofe social e económica, mas que não causou qualquer vítima humana, apesar dos estragos provocados pelas torrentes de lava.

A área de terrenos destruídos pelo vulcão de La Palma é de 811,8 hectares, segundo os últimos números divulgados na segunda-feira pelo sistema de satélites Copernicus da União Europeia. Estima-se em 1956 o número de edifícios destruídos e o total de quilómetros de estradas afetadas é de 64,3, dos quais 60,5 estão totalmente destruídas.

O presidente da comunidade autónoma espanhola das Ilhas Canárias, Ángel Víctor Torres, disse no domingo que não acredita que "o fim da erupção em La Palma está iminente", apesar do facto de "o maior desejo de todos" ser que "este vulcão termine rapidamente".

Segundo os cientistas, a possibilidade da erupção enfraquecer "não está perto", uma vez que ainda existem deformações na área do cone do vulcão, não sendo de excluir totalmente que possa haver novas saídas de lava.

"Estamos à mercê do vulcão, é o único que pode decidir quando ele termina", salientou o presidente das Canárias, que assegurou que "o maior desejo" do arquipélago, neste momento, é que a força do vulcão comece a enfraquecer.

Segundo cálculos feitos pelo Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan), a erupção vulcânica de Cumbre Vieja poderia durar entre 24 e 84 dias, com uma média geométrica de cerca de 55 dias.

O instituto explicou que a duração da erupção é uma das perguntas que os especialistas fazem frequentemente e, embora não seja fácil responder, pode ser calculada utilizando os dados conhecidos sobre a duração das erupções históricas que ocorreram na ilha de La Palma.

* com Agências

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG