Covid-19

Bolsonaro diz que se Lula fosse presidente seriam roubados 90% dos recursos destinados à pandemia

Bolsonaro diz que se Lula fosse presidente seriam roubados 90% dos recursos destinados à pandemia

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, lançou esta quarta-feira duras críticas ao antigo mandatário Lula da Silva, afirmando que se o Partido dos Trabalhadores (PT) estivesse no poder teriam sido "roubados 90%" dos recursos destinados ao combate à pandemia.

"Imaginem a pandemia com o Lula como Presidente da República. Se roubaram, e muito, alguns governadores e prefeitos, com esses recursos, imaginem se o PT estivesse no Governo. Seria roubado, no mínimo, 90% do que foi entregue para esses entes federados", criticou Bolsonaro, em declarações à rede televisiva CNN.

"Queria que ele [Lula] apontasse algum ponto de corrupção no Ministério da Saúde, coisa que era muito comum no Governo dele", acrescentou ainda o atual Presidente.

O chefe de Estado respondeu assim às declarações prestadas esta quarta-feira por Lula da Silva, que, no seu primeiro pronunciamento público após as condenações na Lava Jato terem sido anuladas, acusou Bolsonaro de "incompetência" na gestão da pandemia de covid-19, que tem no Brasil um dos seus focos mundiais.

"Não faltaram recursos [para a covid-19]. O Governo Federal fez a sua parte, até demais. Então, não justifica essa crítica do ex-presidente Lula, que agora inicia uma campanha. E como não tem nada para mostrar de bom, a campanha é baseada em criticar, mentir e desinformar. Nada mais além disso", avaliou o chefe de Estado, em frente ao Palácio da Alvorada, a sua residência oficial em Brasília.

Bolsonaro criticou ainda as medidas de 'lockdown' decretadas por alguns governadores e prefeitos, frisando que as medidas drásticas foram adotadas por executivos ligados ao PT.

"Esses governadores, não são todos, só sabem essa política do 'fica em casa'. Não deu certo no ano passado, mortes tivemos, mortes continuamos a ter", reforçou o mandatário, que acusou Lula de estar em plena campanha política.

PUB

"A parte que eu vi [do pronunciamento de Lula] é plena campanha política. Para ele, tudo é fácil, tudo pode ser resolvido. Em nenhum momento ele falou que os seus governadores de esquerda destruíram milhões de empregos ao obrigar o povo a ficar em casa. (...) Se Fernando Haddad [candidato do PT à Presidência em 2018] tivesse sido eleito, a política de 'lockdown estaria' instalada em todo o país. Ele [Lula] não sabe o que fala e vai ficar aí tagarelando não sei por quanto tempo", frisou.

Lula da Silva falou esta quarta-feira à imprensa, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo, na presença de figuras políticas como Fernando Haddad, que perdeu a eleição presidencial para Jair Bolsonaro, em 2018, e Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Lula aproveitou o pronunciamento para atacar a gestão do atual mandatário, apelando a que os brasileiros não sigam "nenhuma decisão imbecil" de Jair Bolsonaro.

"Muitas mortes podiam ter sido evitadas se o Governo fizesse o elementar. A arte de governar não é fácil, mas é a arte de saber tomar decisões. A primeira coisa que o Presidente deveria ter feito era, em março, ter criado um comité de crise com especialistas", disse Lula.

"Vou tomar a minha vacina, não importa de que país. E quero fazer propaganda para o povo brasileiro. Não sigam nenhuma decisão imbecil do Presidente da República ou do ministro da Saúde", criticou ainda Lula.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG