Brasil

Bolsonaro fez tomografia que evidenciou melhoria no estado de saúde

Bolsonaro fez tomografia que evidenciou melhoria no estado de saúde

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, passou por exame de tomografia computadorizada no abdómen na tarde de sexta-feira e o resultado evidenciou melhoria no quadro de obstrução intestinal, informou o último boletim divulgado pelo Hospital Vila Nova Star.

Segundo os médicos que acompanham o presidente brasileiro desde a noite de quarta-feira, em São Paulo, ele continua a evoluir satisfatoriamente.

"O presidente aceitou bem o início da alimentação. Segue em cuidados clínicos, sem previsão de alta hospitalar", conclui o relatório médico.

A atualização sobre o quadro de saúde de Bolsonaro confirmou a melhora já anunciada pelo próprio, que publicou uma fotografia na conta na rede social do Twitter caminhado pelo hospital.

Na legenda da foto, o presidente brasileiro frisou que em breve estará "de volta ao campo, se Deus quiser."

Noutra publicação na mesma rede social, realizada no final da tarde, Bolsonaro informou que já voltou a trabalhar.

PUB

"Via internet, seguimos fazendo o possível para manter os compromissos. Despachando com ministros. Boa tarde a todos!", escreveu na legenda de outra imagem. em que aparece a segurar um telemóvel durante uma teleconferência com membros do Governo.

No Twitter, o vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, frisou estar "feliz com a melhora do nosso PR [Presidente Bolsonaro]. Sigo torcendo pela sua breve recuperação".

Bolsonaro foi internado no Hospital das Forças Armadas na manhã de quarta-feira, em Brasília, após sentir dores abdominais durante a madrugada.

Posteriormente, o presidente brasileiro foi transferido de Brasília para um hospital de São Paulo, num avião da Força Aérea Brasileira (FAB), para ser avaliada a necessidade de passar por uma cirurgia de emergência, depois de lhe ter sido diagnosticada uma obstrução intestinal.

Em causa está uma crise de soluços que o afeta há mais de uma semana e que lhe causou dores, de acordo com a Secretaria Especial de Comunicação do Governo.

O chefe de Estado brasileiro atribuiu ao ataque à faca que sofreu em 2018, num ato de campanha eleitoral em Minas Gerais, os problemas de saúde que enfrenta.

Desde que assumiu o cargo presidencial, em janeiro de 2019, Bolsonaro teve vários problemas de saúde decorrentes do esfaqueamento, tendo passado por várias cirurgias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG