Mundo

Brasil regista 182 mortos e 9154 casos nas últimas 24 horas

Brasil regista 182 mortos e 9154 casos nas últimas 24 horas

O Brasil registou 182 mortos e 9154 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, com a média de óbitos no país no menor patamar desde dezembro último, informaram, esta segunda-feira, fontes oficiais.

Desde o início da pandemia, registada oficialmente no país sul-americano em fevereiro de 2020, o Brasil totaliza 583 810 vítimas mortais e aproxima-se de 20,9 milhões de infeções pelo novo coronavírus (20 899 933), de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde.

As mortes por covid-19 no Brasil, país com 213 milhões de habitantes, voltaram a atingir o menor patamar deste ano, segundo a média móvel de sete dias divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), centro de investigação médica de referência na América Latina e vinculado ao executivo.

A média móvel de óbitos nos últimos sete dias é de 605, e a novos casos é de 21093, sendo que ambas representam as menores médias desde 7 de dezembro último. O pico de óbitos na pandemia no país foi registado em 12 de abril de 2021, quando foi observada uma média de 3124 mortes, número cinco vezes superior à média atual.

A taxa de incidência da doença no país é agora de 278 mortes e 9845 casos por 100 mil habitantes. Já a taxa de letalidade permanece em 2,8%.

Das 27 unidades federativas brasileiras, São Paulo (4 291 993), Minas Gerais (2 081 186), Paraná (1 469 154) e Rio Grande do Sul (1 412 828) são as que concentram maior número de diagnósticos do novo coronavírus. Já os Estados com mais vítimas mortais são São Paulo (146 567), Rio de Janeiro (63 243), Minas Gerais (53 323) e Paraná (37 801).

A nível global, o Brasil continua a ser o segundo país com mais mortes em todo o mundo, depois dos EUA, e o terceiro com mais casos, antecedido pelos norte-americanos e pela Índia.

PUB

A cidade de São Paulo iniciou, esta segunda-feira, a aplicação da terceira dose de vacinas contra a covid-19 para idosos acima de 90 anos e que tenham recebido a segunda dose há pelo menos seis meses. A expectativa da prefeitura é de que 52 mil pessoas sejam vacinadas neste primeiro grupo etário até 12 de setembro, data até quando está prevista a aplicação da dose de reforço.

Apesar da orientação do Governo Federal para que sejam usadas apenas as vacinas da Pfizer e da AstraZeneca como terceira dose, as cidades do estado de São Paulo aplicarão também a Coronavac. Ainda nesta segunda-feira, crianças e adolescentes de 12 a 14 anos sem comorbidades começaram também a ser imunizados com o antídoto da Pfizer na cidade 'paulista'.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG