Natureza

Canto de pássaro no Brasil tem mais decibéis do que um concerto de rock

Canto de pássaro no Brasil tem mais decibéis do que um concerto de rock

O "sino branco" (araponga-da-amazónia) é uma ave que habita na América Central e do Sul, sobretudo no Brasil, e tem um dos cantos mais elevados do mundo entre as restantes aves. O som destes pássaros pode superar os decibéis de um concerto de rock e o barulho de motosserras a trabalhar.

Já se sabe que a tentativa de acasalamento entre as espécies animais tem muitas formas de manifestação, especialmente no mundo das aves. Os pavões macho abrem as penas da cauda para se exibirem perante as fêmeas, já os pássaros cetim da Austrália constroem um ninho na tentativa de captar a atenção do sexo oposto.

Um estudo da revista científica "Current Biology" publicado esta segunda-feira vem comprovar que o ritual de acasalamento do "sino branco" macho consiste em cantar muito alto junto da fêmea.

O nível máximo de decibéis atingido por estas aves do Brasil é de 125,4 db, o que não é considerado seguro, por exemplo, para o ouvido humano. O som do canto pode ser superior ao volume de um concerto de rock, motosserras a trabalhar e até à buzina de um carro.

Um dos dados mais curiosos é que o volume vai aumentando à medida que os machos se aproximam da fêmea e não o contrário. Os "sino branco" cantam mais baixo se estiverem afastados do sexo oposto. Antes destes pássaros serem analisados, outra espécie, os piha (da Amazónia) já atingiam 125 decibéis junto das fêmeas.

"Durante as músicas, os pássaros movem-se dramaticamente e dirigem as últimas notas diretamente para as fêmeas", explica o biólogo Jeff Podos, da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, que participou na pesquisa dos sons destas aves.

O som metálico do canto pode ser escutado a mais de um quilómetro e meio de distância, de acordo com Mario Cohn-Haft, curador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazónia, no Brasil. "Eles são a banda sonora da montanha", disse ao "The New York Times", referindo-se à Serra do Apiaú, no norte do país.

Cantar assim tão alto faz com que estas aves tenham uma corpulência diferente do comum, embora sejam bastante leves (pesam cerca de meio quilo). Os "sinos brancos" têm abdominais e músculos robustos face aos outros pássaros. Embora não tenham conseguido confirmar a informação, os investigadores acreditam que o som elevado do canto pode ter um impacto prejudicial na audição das fêmeas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG