Coronavírus

Aumento de infetados em Itália fecha serviços em 10 cidades

Aumento de infetados em Itália fecha serviços em 10 cidades

As autoridades italianas encerraram espaços em pelo menos 10 cidades do norte do país, na sequência do aparecimento de 16 novos casos de coronavírus.

Entre os infetados, 14 (dos quais cinco são médicos) vivem na região italiana de Lombardia e outros dois em Veneto (cuja capital é Veneza), divulgaram as autoridades de saúde do país em comunicado de imprensa esta sexta-feira, citado pela agência de notícias AFP. No primeiro caso, os doentes frequentariam o mesmo bar e teriam o mesmo grupo de amigos.

A maioria dos casos de infeção foi registada na pequena cidade de Codogno, com cerca de 15 mil habitantes, no norte do país, que decidiu encerrar todos os locais públicos com propensão para registar aglomerados de pessoas, como escolas, serviços municipais, supermercados, bares, discotecas e pavilhões desportivos. O presidente da Câmara, Francesco Passerini, explicou que a decisão foi tomada porque a confirmação dos casos "criou uma situação de alarme".

Além de Codogno, a sucessão de novos casos levou ao encerramento de espaços públicos em pelo menos mais nove cidades. "A Itália está pronta, preparamos um plano porque ficou claro que isto poderia acontecer. Agora é uma questão de implementar o plano preparado", disse o ministro da Saúde, Roberto Speranza, ao anunciar as medidas.

O novo coronavírus já provocou mais de 2200 mortos e superou os 76 mil infetados, a maioria no território continental da China, mas também nas regiões semiautónomas de Macau e Hong Kong e em cerca de 30 outros países.

Outras Notícias