Líbano

"Continuámos a cerimónia", conta noiva que sobreviveu a explosão em Beirute

"Continuámos a cerimónia", conta noiva que sobreviveu a explosão em Beirute

A noiva libanesa Israa Seblani, de 29 anos, posava para o vídeo do casamento quando foi apanhada pelas explosões de terça-feira, em Beirute, Líbano.

A sessão fotográfica do casamento, que começou com a noiva radiante a exibir o vestido, acabou por captar o momento das enormes explosões que abalaram a capital do Líbano na terça-feira, e que mataram, segundo o último balanço, 137 pessoas, feriram mais de cinco mil e deixaram pelo menos 100 pessoas desaparecidas.

Em entrevista à Reuters, de volta ao local onde celebravam a união, a libanesa agradeceu a Deus por tê-los protegido: a si, ao marido, Ahmad Subeih, e ao fotógrafo. Todos escaparam ilesos. "Estou muito triste com o que aconteceu com outras pessoas, com o que aconteceu ao Líbano. Quando acordei e vi os estragos que aconteceram a Beirute, a única coisa que disse foi: graças a Deus que estamos vivos", contou.

É com perplexidade que recorda o momento. Tinha chegado a Beirute há três semanas para preparar o casamento. Gravava um vídeo para recordar o grande dia e, de repente, ouviu um estrondo que a deixou perplexa e que continua a ser difícil de descrever. "Fiquei em estado de choque, não sabia o que estava a acontecer, pensei 'vou morrer aqui?' Nunca ouvi nada parecido com o som desta explosão."

O acidente podia ter sido razão suficiente para pôr fim à cerimónia, mas não foi. "O meu marido disse-me para continuarmos, que não podiamos parar. Ok, porque não? E continuámos. Mas não estava a viver o momento de verdade, estava só a andar, a minha cara estava sorridente, os meus lábios sorridentes, só isso, nada mais. Depois, fomos jantar." E agora, ainda tenta encontrar a alegria de um casamento que lhe custou a preparar: "Há muitos danos, muitas pessoas morreram e ficaram feridas".

Depois da explosão, Seblani diz que morar no Líbano deixou de ser opção para o casal, que apenas espera um visto para fazer vida nos Estados Unidos.

Outras Notícias