Covid-19

Delta Plus: a nova variante indiana que fez soar alarmes

Delta Plus: a nova variante indiana que fez soar alarmes

Nova variante detetada na Índia motivou alerta das autoridades do país, onde já há duas dezenas de casos identificados.

Depois da variante Delta, a variante Delta Plus: as autoridades de saúde da Índia reportaram, esta terça-feira, o surgimento de uma nova variante do SARS-CoV-2, ainda mais contagiosa que a original e, por isso, mais preocupante. Já foram detetados cerca de 20 casos em três estados do país, 16 dos quais em Maharashtra.

O ministro da saúde indiano, Rajesh Bhushan, que falou hoje ao país em conferência de imprensa, disse que a nova variante tem maior transmissibilidade e aconselhou os estados a aumentarem a testagem. Isto numa altura em que as autoridades de saúde da Índia - devastada em abril e maio por uma segunda vaga da doença que matou centenas de milhares - concentram os esforços na vacinação.

Embora especialistas em saúde e políticas públicas ouvidos pela imprensa do país duvidem que as autoridades possam manter o ritmo, a Índia vacinou, na segunda-feira, o novo máximo diário de 8,6 milhões de pessoas, no mesmo dia em que alargou a vacinação gratuita a maiores de 18 anos. O total de doses administradas desde o início da campanha de vacinação ronda agora os 288,7 milhões, num país com mais de 1,35 mil milhões de habitantes.

A Índia registou na segunda-feira o valor mais baixo de novas infeções em três meses (42.640 casos), confirmando o declínio da segunda vaga, contabilizando ainda 1167 mortes. O número de novos contágios foi ultrapassado pelo 40.º dia consecutivo pelo número de pessoas que recuperaram da doença (81.839), com os casos ativos a descerem para 662.521. Também segundo o Ministério da Saúde, a taxa de positividade dos testes de diagnóstico situa-se abaixo dos 5% há 15 dias, rondando os 2,56% - a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que a pandemia está controlada num país quando a taxa de positividade é inferior a 5%.

Delta superior a 60% em Lisboa e Vale do Tejo

A variante Delta, originalmente detetada em território indiano, já está presente em 92 países, incluindo em Portugal, onde é dominante em Lisboa e Vale do Tejo (LVT). De acordo com os mais recentes dados do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), 60% dos novos casos registados na região já são da chamada "B.1.617.2", estimando-se uma prevalência de 30% em LVT, número que aumenta para 80% no Norte.

PUB

Os resultados preliminares do INSA apontam para o facto da variante Delta ter "um grau de transmissibilidade cerca de 60% superior à variante Alfa", originalmente identificada no Reino Unido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG