EUA

Trump admite que perdeu... e volta atrás logo a seguir: "Não admito nada"

Trump admite que perdeu... e volta atrás logo a seguir: "Não admito nada"

Donald Trump tinha finalmente admitido a vitória de Joe Biden nas presidenciais norte-americanas, através de uma mensagem publicada no Twitter... mas afinal não. Recuou e continua a defender a tese de fraude.

A manhã de Donald Trump começou, como em tantos outros dias, a disparar mensagens no Twitter sobre as eleições dos EUA que perdeu. E se na sexta-feira deu a entender que poderia ter perdido as eleições, num discurso em que disse não saber quem estaria no poder no próximo ano, desta vez foi mais longe e escreveu que "Ele", Joe Biden, "ganhou a eleição". Mas sendo o presidente dos Estados Unidos Donald Trump, a mensagem não terminou por aí. "Ele ganhou porque a eleição foi manipulada", podia ler-se num dos primeiros tweets do dia.

Se, até então, Donald Trump disse sempre que tinha vencido as eleições norte-americanas "por muito", esta foi a primeira vez que escreveu as palavras "Ele ganhou". Se até horas antes, publicava mensagens a pedir para que não se deixasse que "os radicais de esquerda democratas roubassem as eleições", neste último texto o ainda presidente dos EUA parecia admitir que a derrota era inevitável.

Recuou horas depois

Mas, de repente - já toda a imprensa norte-americana e de todo o mundo tinha divulgado a declaração de Trump, interpretando-a como uma assunção da derrota - volte-face no Twitter do presidente! Horas depois, Donald Trump recuou e garantiu que não tinha admitido a desaire republicano nas eleições. "Ele apenas venceu aos olhos dos MEDIA FALSOS. Não concedo NADA!", escreveu Trump, voltando a considerar que as eleições foram "defraudadas".

PUB

As restantes mensagens hoje escritas por Trump não fogem da habitual narrativa que Donald Trump e parte dos republicanos têm usado para contestar os resultados das eleições: afirmou que nenhum observador foi autorizado, o que já foi desmentido até por responsáveis republicanos, e atacou a Dominion, empresa de software, que trata de grande parte do sistema eleitoral dos EUA. Segundo o presidente, a Dominion teria alterado votos digitalmente para Joe Biden ou apagado votos em Trump. Antes, tinha afirmado que seriam 2,7 milhões de votos apagados, algo que o seu próprio Governo desmentiu, dizendo que estas foram as "eleições mais seguras de sempre".

As restantes mensagens da manhã de Trump foram mais um ataque à credibilidade das eleições com votos por correspondência, retweets de um programa da Fox News pró-Trump e o anúncio de uma entrevista que o seu advogado, Ruddy Giuliani, vai dar a um outro programa da Fox News.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG