Covid-19

Espanha, Itália e França retomam a vacina da AstraZeneca

Espanha, Itália e França retomam a vacina da AstraZeneca

Espanha retoma a vacinação com a vacina da AstraZeneca na próxima semana. Itália começa já na sexta-feira, no mesmo dia em que o primeiro-ministro francês, Jean Castex, quer vacinar-se para demonstrar que o fármaco é de confiança.

Esta posição de Espanha, Itália e França, depois da anunciada suspensão para avaliação dos riscos face ao reporte de formação de coágulos em pessoas após inoculação com a vacina da AstraZeneca, surge na sequência da decisão da Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês), que considerou que esta vacina "é segura e eficaz".

O regulador da União Europeia concluiu que os poucos casos de formação de coágulos sanguíneos ou episódios trombóticos em pessoas imunizadas com a AstraZeneca (em 20 milhões de vacinados, foram detetados pouco mais de 40 casos) não estão associados ao fármaco anglo-sueco.

O Ministério da Saúde espanhol propôs que a vacina da AstraZeneca volte a ser administrada a partir da próxima semana, numa reunião extraordinária, esta quinta-feira, com as autoridades de saúde.

Entre sexta-feira e sábado será definido quais são os grupos que serão vacinados, estando em análise a possibilidade de ampliar a vacinação a pessoas com mais de 55 anos. No domingo, o Conselho Interterritorial do Sistema Nacional de Saúde anuncia a decisão final.

Em Itália, o primeiro-ministro Mário Draghi anunciou que Itália retoma a vacinação com a AstraZeneca já amanhã, sexta-feira. "O governo italiano acolhe com satisfação a decisão da EMA. A administração da vacina AstraZeneca será retomada amanhã. A prioridade do Governo continua a ser a realização do maior número de vacinações no menor tempo possível", anunciou.

PUB

No mesmo sentido, o primeiro-ministro francês, Jean Castex, vai vacinar-se sexta-feira com a vacina AstraZeneca para demonstrar o fármaco é de confiança após a "luz verde" das autoridades sanitárias europeias.

O anúncio da vacinação do primeiro-ministro foi confirmado ao jornal "Le Figaro" e deve acontecer perante as câmaras de televisão, para reforçar a confiança dos franceses nesta vacina após alguns dias de dúvida devido aos casos de trombose em diferentes países europeus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG