Covid-19

Espanha com 832 mortes nas últimas 24 horas. Número de óbitos superior a cinco mil

Espanha com 832 mortes nas últimas 24 horas. Número de óbitos superior a cinco mil

Nas últimas 24 horas, morreram 832 pessoas em Espanha, vítimas de Covid-19, de acordo com o El País. Número de vítimas mortais é de 5.690. Há mais de 72 mil infetados.

Espanha ultrapassou, este sábado, os cinco mil mortos por Covid-19, depois de, nas últimas 24 horas, terem morrido mais 832 pessoas.

De acordo com o último balanço das autoridades de saúde, o país contabiliza, agora, 72.248 infetados. De referir que há 40.630 hospitalizados, 4.575 deles nos cuidados intensivos.

Até ao momento, 12.285 pessoas foram consideradas curadas.

A região com mais casos positivos de Covid-19 é a de Madrid, com 21.520 infetados e 2.757 mortos, seguida da Catalunha (14.263 e 1.070) e a do País Basco (5.236 e 221), embora haja registos de mais falecidos com a pandemia em Castela-Mancha (448) e Castela e Leão (321).

Espanha inicia este sábado um segundo período de duas semanas, até 11 de abril, do atual "estado de emergência" aprovado pelo parlamento, que impôs ao executivo a obrigação de informar semanalmente a câmara sobre a evolução da pandemia.

O Governo espanhol anunciou na sexta-feira que decidiu proibir os despedimentos durante a crise do coronavírus e que os contratos temporários, incluindo os de formação profissional, assistência e contratos provisórios, permanecerão em vigor até ao fim da atual emergência sanitária.

"A Covid-19 não pode ser utilizada para despedir trabalhadores", disse a ministra do Trabalho, Yolanda Díaz, após uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros que aprovou um novo pacote de medidas sociais, entre as quais "não considera justificados os despedimentos" por motivos económicos, técnicos, organizacionais, produtivos ou de força maior relacionados com esta crise.

Madrid também vai aumentar o controlo às autorizações de 'lay off' (Expediente de Regulação Temporário do Emprego), com sanções para as empresas que os utilizem indevidamente.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG