Canadá

Estátuas da Rainha Vitória e Isabel II derrubadas em homenagem às vítimas das escolas indígenas

Estátuas da Rainha Vitória e Isabel II derrubadas em homenagem às vítimas das escolas indígenas

Estátuas da Rainha Vitória e Rainha Isabel II foram derrubadas e vandalizadas em Winnipeg, no Canadá, por manifestantes, depois de serem descobertos restos mortais de centenas de crianças em túmulos não identificados em antigas escolas indígenas.

Uma manifestação marcada para o "Dia do Canadá", na quinta-feira, levou a um grupo de manifestantes a marchar até a Assembleia Legislativa de Manitoba, pintando com tinta vermelha a estátua da Rainha Vitória, sendo depois derrubada com a multidão a gritar "nenhum orgulho no genocídio". Uma outra estátua da Rainha Isabel II foi também derrubada, como forma de protesto pela morte de crianças indígenas no Canadá.

O derrube destas estátuas é justificado pela atuação da Rainha Vitória, governante da antiga colónia britânica e atual membro da Commonwealth, que apoiou a promulgação da política de escolas residenciais durante o seu reinado, levando a que mais de 150 mil crianças indígenas fossem separadas à força das suas famílias para frequentar as escolas administradas pela Igreja Católica durante os séculos XIX e XX, sujeitando-as a desnutrição e a abusos físicos e sexuais.

Segundo a BBC, cerca de seis mil crianças morreram enquanto frequentavam as escolas residenciais, pois os alunos eram muitas vezes alojados em instalações mal construídas, mal aquecidas e pouco higiénicas, tendo sido recentemente encontrados mil túmulos não identificados nas antigas escolas residenciais das cidades de Colúmbia Britânica e Saskatchewan.

Também várias cidades do Canadá cancelaram os eventos de celebração do "Dia do Canadá", o dia que celebra o caminho para a independência do país em 1867, realizando protestos em Toronto, uma marcha, intitulada de "CancelCanadaDay" (Cancelar Dia do Canadá) na cidade de Ottawa, que atraiu milhares de pessoas em apoio às vítimas e sobreviventes do sistema de escola residencial e várias vigílias e comícios noutras cidades do país.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, manifestou-se sobre este assunto, dizendo que as descobertas dos restos mortais das crianças nas antigas escolas "pressionaram-nos com razão a refletir sobre os fracassos históricos do país", acrescentando que ainda existem injustiças para os povos indígenas e para muitos outros povos no Canadá.

PUB

Um porta-voz do primeiro-ministro britânico Boris Johnson referiu que o governo condena a desfiguração das estátuas das rainhas, acrescentando que "os nossos pensamentos estão com a comunidade indígena do Canadá, após as trágicas descobertas, que acompanhamos de perto e continuamos a envolver-nos com o governo do Canadá nas questões indígenas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG