Explosão

Mulher estará na origem de atentado que matou seis pessoas em Istambul

Mulher estará na origem de atentado que matou seis pessoas em Istambul

Pelo menos seis pessoas morreram e 81 ficaram feridas, este domingo, um atentado terrorista numa das principais vias comerciais de Istambul, o centro económico da Turquia.

A explosão ocorreu pouco depois das 16.20 horas, (13.20 em Portugal Continental), na Rua Itstiqlal, uma avenida pedestre e popular entre turistas e habitantes locais, repleta de lojas e restaurantes.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, denunciou o "atentado vil" que deixou "seis mortos". "Os autores deste atentado vil serão desmascarados. Que a nossa população esteja segura de que eles serão castigados", prometeu.
"As primeiras observações dão a entender que se trata de um atentado terrorista" disse o presidente aos jornalistas, ao acrescentar que "uma mulher estaria envolvida", sem oferecer mais detalhes.

PUB

Pouco depois, o vice-presidente do país, Fuat Oktay, confirmou que se tratou de um atentado terrorista e que o mesmo teria sido cometido por uma mulher. "Consideramos que se trata de um atentado terrorista devido a detonação de uma bomba por parte de um agressor que seria uma mulher, segundo as primeiras informações", declarou Oktay aos jornalistas. No entanto, ainda não está claro se foi um atentado suicida.

O vice-presidente também atualizou o balanço de vítimas. "Até agora, perdemos seis pessoas, quatro delas no local. Temos 81 feridos. Dois deles estão em estado grave", afirmou.

Em imagens difundidas nas redes sociais, ouve-se o momento da explosão, acompanhado de chamas e desencadeando imediatamente um movimento de pânico. Uma grande cratera negra também é visível nestas imagens, assim como vários corpos no solo nas proximidades. Outras imagens mostraram ambulâncias, carros de bombeiros e da polícia no local. Utilizadores das redes sociais disseram que as lojas foram fechadas e a avenida encerrada.

Segundo a agência de notícias estatal Anadolu foram já designados cinco promotores de justiça para investigar a explosão.

A rua Itstiqlal já foi atingida no passado por um ataque reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, que matou quase 500 pessoas e feriu mais de duas mil, durante uma campanha de investidas que atingiu Istambul em 2015-2016.

Charles Michel apresenta condolências

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, apresentou condolências pela explosão que fez pelo menos seis mortos e mais de 50 feridos no centro de Istambul.

"Notícias horríveis de Istambul. Condolências às vítimas da explosão em Istiklal", afirmou Charles Michel no Twitter. "Os nossos pensamentos estão com os que estão atualmente a responder [ao ocorrido] e com o povo da Turquia neste momento de angústia", acrescentou o político belga.

"As primeiras observações apontam para um atentado terrorista", disse Erdogan aos jornalistas, indicando que "uma mulher estaria envolvida". "Os autores deste vil atentado serão desmascarados", acrescentou.

NATO mostra solidariedade à Turquia

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, mostrou solidariedade da aliança atlântica para com a Turquia, seu membro, depois do atentado de hoje em Istambul, que matou pelo menos seis pessoas e causou mais de 50 feridos.

"Impactantes imagens desde Istambul. Os meus pensamentos e profundas condolências a todos os afetados e ao povo turco", escreveu hoje Stoltenberg no seu perfil oficial na rede social Twitter. "A NATO solidariza-se com o nosso aliado Turquia", acrescentou o secretário-geral, numa publicação citada pela agência Efe.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG