Pandemia

França ultrapassa os 30 mil casos diários de covid-19

França ultrapassa os 30 mil casos diários de covid-19

França ultrapassou esta terça-feira, pela primeira vez desde agosto, 30 mil casos diários de infeção por covid-19, indicaram as autoridades de saúde do país, na véspera de o Governo reunir um comité ministerial para avaliar se são necessárias novas medidas.

Nas últimas 24 horas, foram registados 30.454 novos casos de covid-19, o número mais elevado desde 16 de agosto.

Na última semana, o número médio diário foi ligeiramente inferior a 20 mil, o que já tinha representado um aumento de 79% face à semana anterior.

A taxa de incidência é de cerca de 180 casos por 100 mil habitantes, enquanto a taxa de casos positivos é de cerca de 4,5%, de acordo com dados de saúde.

Esta quarta-feira, o presidente francês Emmanuel Macron convocará uma comissão ministerial para acompanhar a evolução da pandemia, durante a qual poderão ser anunciadas várias medidas.

Uma parece clara: a de abrir a terceira dose de vacina aos maiores de 40 anos, depois de a Autoridade Sanitária, um órgão de aconselhamento médico, se ter pronunciado a favor na semana passada.

PUB

Até ao momento, apenas as pessoas com mais de 65 anos eram candidatas a esta terceira dose e o governo tinha pedido a sua abertura aos maiores de 50 anos, mas a Autoridade Sanitária assegurou que os estudos científicos internacionais demonstram a sua utilidade a partir dos 40 anos.

Contudo, especificou que esta terceira dose não deve ser administrada antes de decorridos seis meses desde a segunda dose, o que deixa ao Executivo o tempo necessário durante o mês de dezembro para organizar uma nova campanha de vacinação.

O Comité Ministerial pode também considerar a possibilidade de tornar obrigatório o uso de uma máscara em determinados locais, tais como teatros.

Esta medida de proteção já é obrigatória em várias escolas, mas isso não impediu que seis mil salas de aula fossem fechadas devido a casos positivos, em comparação com as quatro mil da última sexta-feira.

Até agora, França não teve uma explosão de casos positivos como em alguns países vizinhos, mas o ministro da Saúde, Olivier Véran, disse estar a acompanhar de perto os desenvolvimentos para lidar com uma nova vaga.

Entre as pessoas afetadas encontra-se o próprio primeiro-ministro, Jean Castex, que testou positivo na segunda-feira depois de ter sido considerado um "caso de contacto".

"Além de sintomas ligeiros, estou bem e continuo com os meus deveres, isolado ", escreveu no Twitter.

Depois de ter sido conhecido que testara positivo, os meios de comunicação social recuperaram imagens em que o chefe do Governo aparecia sem máscara em eventos públicos com várias pessoas, apesar de o próprio Governo insistir na necessidade de usar esta medida de proteção em espaços fechados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG