NATO

Incidente na Polónia causado por míssil ucraniano mas culpa não é de Kiev

Incidente na Polónia causado por míssil ucraniano mas culpa não é de Kiev

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), Jens Stoltenberg, disse hoje que a explosão que matou duas pessoas na Polónia "foi provavelmente causada" por um míssil ucraniano, mas ressalvou que "não é culpa da Ucrânia".

"A nossa análise preliminar sugere que o incidente foi provavelmente causado por um míssil de defesa aérea ucraniano disparado para defender o território ucraniano contra ataques de mísseis de cruzeiro russos, mas deixem-me ser claro, isto não é culpa da Ucrânia", afirmou Jens Stoltenberg.

Falando em conferência de imprensa em Bruxelas após ter presidido a uma reunião do Conselho do Atlântico Norte para discutir a explosão de terça-feira na Polónia, perto da fronteira com a Ucrânia, o líder da Aliança Atlântica vincou: "A Rússia tem a responsabilidade última, uma vez que continua a sua guerra ilegal contra a Ucrânia".

PUB

De acordo com Jens Stoltenberg, "está em curso uma investigação sobre este incidente", mas até ao momento não há "qualquer indicação de que este tenha sido o resultado de um ataque deliberado".

"E não temos qualquer indicação de que a Rússia esteja a preparar ações militares ofensivas contra a NATO", concluiu o secretário-geral da organização.

O Presidente polaco, Andrzej Duda, admitiu hoje que o míssil que matou duas pessoas na Polónia, na terça-feira, "tenha sido lançado pela Ucrânia", mas disse que nada indica que tenha sido um "ataque intencional".

Duda declarou que a Polónia não vai invocar o artigo da NATO que prevê consultas entre aliados sempre que esteja ameaçada a "integridade territorial, a independência política ou a segurança" de qualquer dos Estados-membros da Aliança Atlântica.

A Polónia convocou uma reunião de emergência com os seus aliados da NATO depois de ter anunciado que um "projétil de fabrico russo" tinha caído na localidade de ​​​​​​​Przewodów, que faz fronteira com a Ucrânia, na terça-feira, matando duas pessoas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG