O Jogo ao Vivo

Onda de calor

Inferno da Grécia e da Turquia pode chegar a Portugal em duas semanas

Inferno da Grécia e da Turquia pode chegar a Portugal em duas semanas

Incêndios já destruíram centenas de casas em ambos os países. Altas temperaturas podem chegar nas próximas duas semanas a Portugal, que deverá registar um aumento de 20 graus.

É quase o inferno na Terra. A Europa está a ter um verão como poucos outros, com temperaturas extremas a fustigar vários países. No Mediterrâneo, uma onda de calor, que mantém há dias as temperaturas acima dos 40 graus Celsius, tem potenciado vários incêndios em vários países, especialmente na Grécia e na Turquia, que estão a ser dizimadas pelas chamas. Portugal pode ser atingido por esta onda de calor daqui a duas semanas.

Em Eubeia, a maior ilha do arquipélago grego, dezenas de residentes e turistas tiveram de ser resgatados de barco depois de ficarem encurralados pelas chamas na costa. A guarda costeira retirou, pelo menos, meia centena de pessoas de uma praia perto da vila costeira de Rovies, escreve a agência de notícias "Reuters". Quase uma centena estava, ao final do dia de ontem, encurralada na ilha onde o fogo já destruiu 150 casas.

Na periferia de Atenas, milhares de residentes viram-se forçados a deixar as suas casas devido a um incêndio que queimou mais de cem habitações e que cobriu a capital grega com uma densa nuvem de ´fumo negro. Mais de 300 pessoas foram retiradas da localidade de Varympompi, a trinta quilómetros de Atenas, e de duas outras vilas vizinhas, relata o jornal britânico "The Guardian".

"As condições climáticas são extremas", constatou o vice-ministro da Proteção ao Cidadão, Nikos Hardalias. "Devemos permanecer em alerta. Devemos evitar qualquer atividade que possa causar um incêndio".

Dias piores poderão vir

PUB

De acordo com o chefe da Proteção Civil grega, Nikos Hardalias, 118 incêndios florestais eclodiram nas últimas 24 horas. Mas o cenário de terror pode não ficar por aqui, havendo previsão de que dias ainda piores podem estar por vir, alertou Hardalias sublinhando que está a ser feito "um esforço titânico em muitas frentes".

"De acordo com nossas previsões de ameaças, amanhã também deve ser um dia difícil ... O mais difícil está pela frente, os próximos dias e semanas serão ainda mais difíceis. O nosso principal objetivo é proteger as pessoas", insistiu o chefe da Proteção Civil. Mas não só a Grécia está a braços com incêndios devastadores. Também a Turquia luta contra os mais intensos fogos jamais registados no país.

Mais de 180 incêndios devastaram enormes áreas de floresta e já mataram oito pessoas desde que irromperam, a leste de Antália, na semana passada. Ontem, estavam ativos cerca de 18 incêndios. Um deles levantou preocupação por estar demasiado perto da central elétrica a carvão de Milas, em Bodrum, no Sudoeste do país.

De acordo com o ministro das Florestas, Bekir Pakdemirli, nos últimos oito dias os bombeiros conseguiram controlar 167 incêndios.

Calor em Portugal

Também na vizinha Bulgária, os fogos não param de se multiplicar e já vitimaram duas pessoas. Nos últimos dias, têm-se registado entre 200 e 240 incêndios por dia, declarou o chefe dos serviços de bombeiros búlgaros, Nikola Nikolov. Segundo o responsável, 93% dos incêndios foram ateados por mão humana e propagaram-se rapidamente devido ao calor, à seca e ao vento.

De acordo com as previsões meteorológicas, as elevadas temperaturas poderão chegar a Portugal já nas próximas duas semanas, prevendo-se um aumento de 20 graus Celsius.

Helicópteros

A Comissão Europeia anunciou o envio de aviões, helicópteros e bombeiros para Itália, Grécia, Albânia e Macedónia do Norte para ajudar os países a combater os incêndios.

Itália e Grécia

De acordo com o Executivo europeu, dois aviões modelo Canadair da França foram enviados para as áreas afetadas na Itália. Já a prestar apoio à Grécia, estão dois aviões de combate a incêndios de Chipre e uma equipa encarregue de dar apoio em terra.

Macedónia do Norte

Além disso, dois helicópteros destinados a apoiar as operações na Albânia serão disponibilizados pela República Checa e pelos Países Baixos. Já a Eslovénia enviará uma equipa de 45 bombeiros para a Macedónia do Norte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG