Estónia

Avião caça espanhol dispara míssil por acidente perto da fronteira russa

Avião caça espanhol dispara míssil por acidente perto da fronteira russa

Um avião caça Eurofighter da força aérea espanhola, que realizava um exercício militar na Estónia com dois aviões Mirage franceses, disparou por acidente um míssil ar-ar, a cerca de cem quilómetros da fronteira com a Rússia, terça-feira à tarde.

O incidente, confirmado ao "El Pais" pelo ministério da Defesa de Espanha, ocorreu com uma aeronave destacada para a missão de Polícia Aérea da NATO no Báltico, na qual Portugal também participa. O disparo foi feito quando quatro aviões (dois espanhóis e dois franceses) participavam num exercício, numa zona reservada para o efeito no sudeste da Estónia.

O projétil disparado pelo Eurofighter espanhol não atingiu qualquer avião e é agora procurado pelo exército do país, apesar de o Governo da Estónia garantir que o míssil AMRAAM tem um dispositivo que o destrói no ar, caso não atinja qualquer objetivo. Depois do disparo, as quatro aeronaves voltaram à base de Siauliai, na Lituânia, e foi aberta uma investigação para se perceber os contornos do caso.

A última localização conhecida do míssil, que usa uma carga explosiva de 25 quilogramas e tem um alcance de cerca de 100 quilómetros, situa-se a 40 quilómetros a norte da cidade de Tartu e as autoridades do país apelaram à população para que não manipule o projétil, caso o encontre.

Portugal tem na base de Siauliai quatro F-16 e 84 militares em missões de patrulhamento no Báltico e também 32 militares com uma aeronave P-3CUP+. Desde 2004 que os aliados da NATO se revezam na patrulha aérea dos países do Báltico, que não têm esta capacidade militar, para dissuadir a Rússia de entrar no espaço aéreo da região.