Terror

Conhecida a primeira vítima da carnificina na Nova Zelândia

Conhecida a primeira vítima da carnificina na Nova Zelândia

O ataque a duas mesquitas na Nova Zelândia fez 49 vítimas mortais. Nos locais de oração estavam várias pessoas a rezar e ao fim de pouco mais de meio-dia começam a ser conhecidos os nomes da tragédia.

Daoud Nabi é a primeira vítima conhecida do atentado terrorista da passada sexta-feira. Conhecido por ter ajudado os refugiados que chegaram ao país nos últimos anos, tinha 71 anos, nove netos e era bastante conhecido em Christchurch.

Foi o próprio filho, Nabi, que à "NBC News" confirmou a morte do pai. No Facebook, pouco depois dos tiros terem serenado, deu um grito de alerta: "Por favor, pai. Anda para casa". Ele próprio deveria ter estado na mesquita, mas faltou às orações para ir trabalhar.

À NBC contou que tentou ligar para o pai, mas nunca ninguém atendeu a chamada. A confirmação veio depois já na mesquita. O pai tinha morrido, depois de se ter colocado à frente de outra pessoa, como um escudo humano. Morreu num ato de altruísmo.

Daoub era um dos responsáveis pela mesquita de Christchurch e era o presidente da associação afegã daquela cidade. A família tinha chegado nos anos 1980, fugidos do Afeganistão logo após a invasão soviética.

Entre as vítimas estarão algumas crianças. Uma testemunha relatou aos meios locais que viu uma criança de apenas 5 anos a lutar pela vida no colo do pai, também ele seriamente ferido com marcas de balas.

Imobusiness