Sacrifícios

Descoberto local onde foram assassinadas 132 crianças em ritual no Peru

Descoberto local onde foram assassinadas 132 crianças em ritual no Peru

Um novo achado arqueológico surpreendeu uma equipa de investigadores que desde há oito anos estuda a antiga civilização Chimú, que povoou a região La Libertad, no Perú. Os arqueólogos encontraram restos mortais de 132 crianças e 260 lamas jóvens, em Pampa La Cruz, área recentemente escavada à entrada da cidade de Trujillo.

O achado, que vai ser apresentado na edição de fevereiro da revista "National Geographic", soma-se à descoberta dos restos morais de 137 crianças e 206 lamas, na zona de Huanchaquito-Las Llamas, a 1,5 quilómetros de Pampa La Cruz, em abril de 2018, que é considerada o maior sacrifício de crianças de toda a América, "e provavelmente da história mundial", segundo a "National Geographic".

De acordo com o jornal peruano "El Comercio", em relação a esta última descoberta, os assassinatos ocorreram em quatro eventos sacrificiais, um a cada 100 anos, entre 1200 e 1520. "Isso revela que, mesmo com a conquista Inca, os Chimú continuaram com sacrifícios humanos", disse ao jornal o arqueólogo peruano Gabriel Prieto, que desde 2011 lidera a equipa de investigação que, nos últimos anos, recebeu financiamento da organização sem fins lucrativos "National Geographic Society".

Segundo os investigadores, as crianças teriam entre 5 e 14 anos e estariam de boa saúde, na altura das mortes, o que indica que terá sido "um sacrifício de grande valor".

A presença de têxteis com representações de divindades e ornamentos nos túmulos encontrados surpreenderam os arqueólogos nesta nova descoberta. Além dos artefactos e vestimentas pintadas com que as crianças foram enterradas, a equipa encontrou também sementes e penas de aves exóticas em "excelente estado", que Prieto explica como um sinal da relação entre as sociedades costeiras e da selva.

O antropólogo John Verano, da Universidade de Tulane (EUA), investigador e especialista em sacrifícios humanos, diz que não há nenhuma evidência científica de sacrifício de crianças desta magnitude noutras civilizações, nem mesmo em impérios, como o Inca, Maia ou Asteca: "Em todo o mundo há evidências de sacrifícios, mas não se comparam aos que foram feitos pelos Chimus."

ver mais vídeos