Violência

Elefantes atacados com bolas de fogo por entrarem em aldeia na Índia

Elefantes atacados com bolas de fogo por entrarem em aldeia na Índia

Um grupo de pessoas de uma aldeia na Índia atacou brutalmente um elefante adulto e a sua cria com bolas de fogo e pedras por estes terem entrado nos campos de cultivo e estragado as plantações. Estas situações são cada vez mais comuns naquele país devido à desflorestação, que tem destruído parte do habitat natural destes animais.

As imagens, captadas pelo fotógrafo Biplab Hazra, mostram o nível de violência que estas espécies ameaçadas enfrentam quando tentam sobreviver em habitats menores e fragmentados. Considerados um ícone cultural da Índia, os elefantes têm agora menos espaço para viver e isso leva-os a entrar em locais habitados por humanos, como aconteceu na aldeia de Bishnupur, em Bengala Ocidental.

Ao entrar nas aldeias, as manadas de elefantes podem causar danos significativos às plantações, que são o principal meio de subsistência daquelas pessoas. Alguns aldeões usam tochas para assustar os animais e mantê-los longe dos campos.

"Isso acontece porque os habitantes têm que salvar as suas colheitas", disse o fotógrafo Biplab Hazra à agência internacional de notícias Caters. "Existem muitos elefantes a entrar nas aldeias. Estou a mostrar isso ao divulgar as minhas fotos para aumentar a consciencialização pública sobre o assunto", acrescentou.

Estes animais podem passar até 19 horas por dia a alimentar-se e produzem cerca de 100 quilogramas de estrume por dia. Apesar de as pessoas estarem determinadas a afastar os elefantes das plantações, o estrume dos animais é essencial para a germinação de sementes, que por sua vez desempenham um papel crucial na manutenção das florestas e pastos.

Os elefantes indianos são considerados uma espécie ameaçada e a sua população selvagem diminuiu mais de 50% desde 1940. O aumento de habitantes na Índia, assim como a expansão das vilas e cidades, fez com que as florestas se tornassem ilhas isoladas e quando os animais tentam movimentar-se entre elas acabam por entrar nos locais habitados por pessoas.