Espanha de luto

Julen encontrado sem vida ao fim de 13 dias

Julen encontrado sem vida ao fim de 13 dias

Julen, a criança de dois anos que caiu num poço em Totalán, Málaga, no dia 13 de janeiro, foi encontrado sem vida, pela equipa de resgate, às 1.25 horas locais deste sábado.

Terminaram da pior maneira, mas já esperada, os 13 dias de uma operação cheia de avanços e recuos, que colocou os olhos de Espanha e do Mundo na pequena localidade de Totalán. Julen, que caiu de um poço com 25 centímetros de diâmetro e mais de 100 de profundidade, foi encontrado morto.

Segundo o jornal "El País", foram ativadas as autoridades competentes que darão a ordem para se proceder à retirada do corpo, que deverá depois ser autopsiado. Pelas 3 horas locais (menos uma em Portugal continental), chegavam ao local os serviços funerários.

"Infelizmente, às 1.25 horas da manhã, as equipas de resgate acederam ao local do poço onde Julen estava a ser procurado e localizaram o corpo sem vida da criança. A comissão judicial foi ativada", informou no Twitter Alfonso Rodríguez Gómez de Celis, delegado do Governo central na Andaluzia.

O mesmo jornal adianta que uma equipa de psicólogos comunicou a notícia aos pais de Julen, momentos antes de serem ativados todos os protocolos. Na sexta-feira à noite, o pai da vítima, José Rosselló, teve de receber assistência médica, depois de sofrer uma crise de ansiedade em casa, onde, ao início da madrugada, se concentraram dezenas de pessoas.

As reações à confirmação da morte do pequeno Julen não tardaram a chegar. Várias personalidades políticas, celebridades e instituições públicas de Espanha, como a Guardia Civil e o Ministério de Interior, manifestaram-se solidárias com a família e com os envolvidos nas operações de resgate.