Espanha

"Capuchinho Vermelho" considerado livro sexista e retirado de escola

"Capuchinho Vermelho" considerado livro sexista e retirado de escola

A escola Tàber, situada em Barcelona, Espanha, retirou cerca de 200 livros do seu catálogo infantil por considerar que transmitem valores "tóxicos" às crianças. "O Capuchinho Vermelho" e "A Bela Adormecida" estão entre as obras rejeitadas.

Segundo o jornal espanhol "El País", os responsáveis pela revisão do catálogo identificaram, em muitas das obras, que a personagem masculina é associada a valores como a coragem, a competitividade, o uso de violência e encarna, quase sempre, o papel de salvador da personagem feminina, que transmite valores de fragilidade, incapacidade e dependência.

A iniciativa na escola de Tàber está a ser replicada noutras escolas espanholas. "Na primeira infância, as crianças são esponjas e absorvem tudo à sua volta, pelo que acabam por assumir como normais os padrões sexistas. Por outro lado, na escola primária os alunos já têm mais capacidade crítica e os livros podem ser uma oportunidade para aprender, para que eles próprios tomem consciência dos elementos sexistas", comentou Anna Tutzó, uma das mães que forma a comissão que revisitou o catálogo.

No final, os livros considerados "tóxicos" para as crianças correspondiam a 30% da coleção da escola que, agora, aposta na aquisição de edições mais recentes e que refletem preocupação ao nível das questões de género.