Venezuela

Guaidó confirma: "Entrou o primeiro carregamento de ajuda humanitária"

Guaidó confirma: "Entrou o primeiro carregamento de ajuda humanitária"

"Atenção Venezuela! Anunciamos oficialmente que entrou o primeiro carregamento de ajuda humanitária pela nossa fronteira com o Brasil", anunciou Juan Guaidó, este sábado no Twitter.

"Isto é um grande passo, Venezuela!", sublinhou o presidente da Assembleia Nacional e autoproclamado presidente interino.

"Esta luta é de todos e por todos os venezuelanos", defende Juan Guaidó num vídeo publicado no Twitter, este sábado.

O primeiro dos camiões com ajuda humanitária do Brasil para a Venezuela chegou a Pacaraima, localizada junto à fronteira que está fechada desde quinta-feira, por ordem do regime de Nicolas Maduro. Um segundo camião está a caminho.

Centenas de venezuelanos concentram-se junto à fronteira para acompanhar a chegada do primeiro veículo com ajuda humanitária do Brasil, gritando palavras de ordem contra o presidente Maduro e exigindo que os militares venezuelanos abram caminho e deixem passar a ajuda, segundo relata a agência espanhola Efe.

Em declarações aos jornalistas junto à fronteira, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, mostrou-se confiante no sucesso da entrega de ajuda humanitária na Venezuela, transportada pelos dois camiões.

"Todos estão a olhar para o que está a acontecer hoje na fronteira com a Venezuela. Temos a expectativa que permitam a passagem" dos camiões, disse Ernesto Araújo.

Um pouco antes do anúncio oficial da entrada da ajuda humanitária pela fronteira com o Brasil, o presidente interino venezuelano assistiu em Cúcuta, na fronteira com a Colômbia, à partida simbólica de camiões com ajuda para a Venezuela.

"A ajuda humanitária vai a caminho da Venezuela", afirmou cerca das 11.35 horas (15.35 horas em Portugal continental), minutos antes de subir a um camião com ajuda, numa cerimónia transmitida em direto pelas televisões.

Ao lado de Guaidó, estava o presidente colombiano, Ivan Duque, que antes formalizou a entrega dos camiões com a ajuda humanitária.

Até às 16.20 horas, não havia ainda informação de fontes independentes sobre a entrada em território venezuelano destes veículos.