Moscovo

Putin critica EUA e alerta para risco crescente de guerra nuclear

Putin critica EUA e alerta para risco crescente de guerra nuclear

O Presidente russo, Vladimir Putin, alertou, esta quinta-feira, para o risco crescente de uma guerra nuclear e criticou os Estados Unidos por provocarem uma nova corrida às armas ao abandonarem os acordos de desnuclearização.

"Lamentavelmente, existe uma tendência para desvalorizar o perigo de uma guerra nuclear", disse Vladimir Putin, em Moscovo, na conferência de imprensa anual, na qual participam mais de dois mil jornalistas russos e estrangeiros.

Apontando a intenção dos Estados Unidos dos América de se retirarem do tratado de 1987 sobre armas nucleares de médio alcance, considerou que se os EUA colocarem mísseis de médio alcance na Europa, a Rússia será forçada a tomar medidas.

"Temos de garantir a nossa segurança. Não procuramos vantagens, estamos a tentar preservar o equilíbrio e garantir a nossa segurança", disse.

Para o Presidente russo, assiste-se "ao colapso do sistema de controlo de armas", com uma tendência "de diminuição do limiar" para o uso de armas nucleares.

"Baixar esse limiar pode levar a uma catástrofe nuclear global", disse.

Putin destacou igualmente o facto de os EUA estarem a ponderar usar mísseis balísticos com ogivas convencionais, adiantando que o lançamento desses mísseis pode ser confundido com o lançamento de mísseis nucleares.

"Se acontecer, pode levar à destruição da civilização inteira e mesmo acabar com o planeta", disse.

Putin considerou ainda que os EUA parecem pouco interessados em prolongar o novo programa de redução de armas nucleares START, que termina em 2021.

"Não estão interessados, não precisam disso? Ok, nós sabemos como garantir a nossa segurança", disse.