Nairobi

Sobrevivente do 11 de setembro morreu em atentado terrorista no Quénia

Sobrevivente do 11 de setembro morreu em atentado terrorista no Quénia

Americano que sobreviveu ao atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, está entre 24 vitimas confirmadas do ataque ao complexo de luxo em Nairobi, realizado esta esta terça-feira.

Jason Spindler, um dos sobreviventes ao ataque da al-Qaeda às Torres Gémeas, em Manhattan, encontra-se entre as vitimas mortais do ataque a um complexo luxuoso localizado na zona administrativa na capital do Quénia, Nairobi, pelo grupo al-Shebab.

"Enquanto milhares de pessoas fugiam do World Trade Center em colapso no centro de Manhattan, Spindler fez o oposto, correu diretamente para os escombros e para ajudar as pessoas", contou o colega de quarto da faculdade, Kevin Yu, ao jornal The Washington Post, na quarta-feira. Na época, o norte-americano trabalhava no banco de investimentos Salomon Smith Barney.

Dezassete anos depois, o norte-americano, proprietário da empresa de consultoria e investimentos I-Dev, encontrava-se a trabalhar num projeto no Quénia, exatamente no mesmo hotel que os elementos da célula terrorista atacaram.

As autoridades não divulgaram a identidade de Jason, mas a mãe, Sarah Spindler, confirmou à cadeia de televisão NBC que uma das vítimas mortais é o filho.

Jason encontrava-se em Nairobi porque "estava a tentar fazer uma mudança positiva nos mercados do terceiro mundo" disse a mãe da vítima. "Todos sentimos muito a falta dele. E é tão triste que uma pessoa tão brilhante seja levada pelo terrorismo", acrescentou.

A família de Jason vai viajar até ao Quénia para recolher o corpo. Segunda-feira, dia em que Jason completaria 41 anos, vai ser realizado uma cerimónia de homenagem.