Investigação

Justiça francesa abre investigação a ex-secretário de Estado por assédio sexual

Justiça francesa abre investigação a ex-secretário de Estado por assédio sexual

O Ministério Público (MP) de Paris abriu uma investigação judicial ao ex-secretário de Estado ecologista francês Jean-Vincent Placé, em 23 de novembro, depois de uma antiga colaboradora o acusar de assédio sexual entre 2012 e 2016.

Questionado pela agência de notícias AFP e pelo site na Internet francês Mediapart, o MP de Paris confirmou a abertura da investigação por "assédio sexual". Contacto pela AFP, Jean-Vincent Placé não quis "fazer quaisquer comentários nesta fase". "Vou, claro, responder a todas as perguntas que os investigadores me farão", acrescentou.

Em março, Jean-Vincent Placé foi multado por assédio sexual a um responsável pela sua segurança. Em setembro de 2018, foi condenado a uma pena de prisão suspensa de três meses e a uma multa de mil euros por violência e desacatos durante uma noite, admitindo ter sido "extremamente insistente" e "impróprio" com uma pessoa.

Um terceiro episódio surgiu através de um tweet, no final de 2017, da antiga colaboradora - com o nome de Audrey -, que agora apresenta queixa, e de um artigo no jornal francês Libération em 2018. Na sede da Embaixada de França em Roma (Itália), em 14 de julho de 2016, o secretário de Estado teria "ordenado" a sua colaboradora "a dançar um 'slow'" com o senador centrista François Zoccheto.

No final de 2018, com a face de desfocada, Audrey acusou este último ato no canal de televisão France 3, dizendo que Jean-Vincent Placé a havia "pressionado" e colocado a "mão nas costas".

François Zoccheto apresentou as suas "desculpas" por não ter "resistido à ordem" de Jean-Vincent Placé, mas excluiu "qualquer conduta condenável". A AFP não conseguiu obter uma reação, até ao momento. "Os movimentos de libertação da palavra e as coações amigáveis das mulheres determinaram" que Audrey, de 35 anos, falasse agora, de acordo com o seu advogado, Me Tewfik Bouzenoune.

Segundo a denúncia, Jean-Vincent Placé terá ordenado Audrey --em 2012, na "primeira semana de trabalho - a usar "vestido e escarpins". Audrey acusa o ex-secretário de Estado de ter "tocado nas suas nádegas" numa discoteca em Lille, à margem de um comício de verão em agosto de 2015.

PUB

Em meados de maio de 2016, em Seul, Audrey garante que Jean-Vincent Placé "tocou-lhe deliberadamente no peito" num automóvel, no qual se encontrava o embaixador de França na Coreia do Sul, Fabien Penone.

Audrey afirma na sua queixa que o antigo secretário de Estado também teria colocado uma "mão na coxa" em outubro de 2014, durante um jantar em Paris com deputados eleitos, bem como uma "mão na parte inferior das costas" em fevereiro de 2016.

A AFP não encontrou testemunhas diretas que possam confirmar os episódios.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG