O Jogo ao Vivo

Polémica

Ministro canadiano diz que Papa deve pedir desculpa pelos abusos no país

Ministro canadiano diz que Papa deve pedir desculpa pelos abusos no país

O ministro dos Serviços Indígenas do Canadá, Marc Miller, disse quarta-feira que o papa Francisco deve fazer um pedido de desculpas formal pelo papel desempenhado pela igreja católica no sistema escolar residencial do país.

A afirmação aconteceu dias após a descoberta dos restos mortais de 215 crianças na escola residencial indígena de Kamloops, que já foi a maior do país, algumas das quais com apenas três anos, vítimas de abusos.

Os restos mortais das crianças foram detetados com a ajuda de um radar de penetração no solo, no passado fim de semana, e é possível que venham a ser detetados mais corpos, porque algumas zonas da escola ainda não foram revistas, disse, Rosanne Casimir líder da Primeira Nação Tk'emlups te Secwépemc, num comunicado divulgado na sexta-feira.

O Governo de Justin Trudeau comprometeu-se ainda a apoiar os esforços para encontrar mais sepulturas não identificadas nas antigas escolas residenciais para estudantes indígenas, instituições que mantinham crianças retiradas de famílias indígenas em todo o país.

A Kamloops Indian Residential School era a maior instituição do género no Canadá e foi gerida pela igreja católica romana ente 1890 e 1969, antes de o governo federal assumir a sua gestão como escola diurna, até 1978, ano em que foi encerrada.

Quase três quartos das 130 escolas residenciais eram administradas por congregações missionárias católicas.

O pedido de desculpas papal foi uma das 94 recomendações feitas pela Comissão de Verdade e Reconciliação, criada como parte de um pedido de desculpas do Governo sobre os acontecimentos nas escolas e Trudeau pediu pessoalmente ao papa, durante uma visita ao Vaticano, em 2017, para considerar esse gesto.

PUB

A Conferência de Bispos Católicos Canadianos anunciou, em 2018, que o papa não podia desculpar-se pessoalmente pelas escolas residenciais, embora não tenha recusado reconhecer as injustiças enfrentadas pelos povos indígenas em todo o mundo.

"Acho vergonhoso que isso não tenha sido feito até agora. Há uma responsabilidade que recai diretamente sobre os ombros dos bispos católicos do Canadá", disse o ministro Marc Miller.

A ministra das Relações Indígenas, Carolyn Bennett, também acrescentou que um pedido de desculpas do papa ajudaria a cicatrizar o sofrimento das vítimas.

"Eles querem ouvir o papa a pedir desculpa", disse.

A Comissão de Verdade e Reconciliação tem registo de pelo menos 51 crianças mortas na escola entre 1915 e 1963.

Identificou, também, cerca de 3200 mortes confirmadas em escolas de todo o país, mas frisou que as escolas não registaram a causa de morte em quase metade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG