Tensão

Mísseis, petróleo e paz. Trump recua na resposta militar ao Irão

Mísseis, petróleo e paz. Trump recua na resposta militar ao Irão

Donald Trump não confirmou nenhuma resposta militar, negou a existência de vítimas norte-americanas e reforçou que não necessita do petróleo do Médio Oriente. O presidente dos Estados Unidos falou à nação após os mísseis lançados pelo Irão contra duas bases norte-americanas no Iraque, esta madrugada.

Chegou quase às 16.20 horas. Vinte minutos após a hora marcada, Donald Trump desceu até ao púlpito da Casa Branca para reagir às dezenas de mísseis lançados, durante a madrugada, pelo Irão a duas bases norte-americanas no Iraque. A primeira conclusão é a de que não haverá resposta militar e nenhuma "vida norte-americana" foi perdida na ação de retaliação iraniana.

Se muitos esperavam uma reação militar em força dos EUA, Trump acabou por ser brando na "vingança". O presidente norte-americano anunciou mais sanções económicas ao Irão, depois das anunciadas em 2012 e em 2018. Numa tentativa de descansar os cidadãos, disse ainda que o "Irão parece estar a recuar".

Trump não resistiu, porém, a relembrar as potencialidades militares do país face aos demais e sobretudo face ao Irão. "Os nossos mísseis são maiores, mais poderosos, precisos, letais e fatais. Temos em construção os mísseis hipersónicos", disse.

Logo a seguir, voltou a recuar no ataque. "Mesmo que tenhamos este incrível equipamento militar, não significa que o tenhamos de o usar. Nós não o queremos usar", acrescentou o líder dos Estados Unidos.

Trump quer mais presença da NATO no Médio Oriente

O discurso foi dirigido para dentro e para fora dos EUA. O presidente apelou à NATO que "esteja mais envolvida" no conflito do Médio Oriente, esclarecendo que as outras nações são também responsáveis pela manutenção da paz.

Apesar das ações de retaliação entre ambos os países, Trump relembrou o combate conjunto contra o Estado Islâmico, "um inimigo natural do Irão", segundo o presidente dos Estados Unidos da América, quase antecipando um acordo entre os dois territórios.

Em palavras dirigidas aos líderes iranianos não se poupou nos conselhos: "Queremos que tenham um grande futuro, um futuro que mereçam. Os Estados Unidos querem alcançar a paz".

Trump: EUA com independência energética

Apesar da mensagem menos impetuosa, Donald Trump não deixou de ser ele mesmo. Não quis reconhecer a riqueza do Irão como um dos países mais prósperos e ricos em petróleo: "Somos o número um na produção de petróleo e gás natural em todo o mundo. Não precisamos do petróleo do Médio Oriente". Segundo o presidente norte-americano, os EUA tem independência energética.

A tensão entre o Irão e Estados Unidos aumentou após a morte do general Qassem Soleimani, comandante da força de elite iraniana Al-Quds, que morreu na passada sexta-feira, num ataque aéreo dos EUA no Iraque. Esta quarta-feira de madrugada, o Irão lançou vários mísseis contra duas bases norte-americanas no Iraque.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG