Japão

Morreu a mulher mais velha do mundo, "título" passa para freira francesa

Morreu a mulher mais velha do mundo, "título" passa para freira francesa

A mulher mais velha do mundo, a japonesa Kane Tanaka, morreu aos 119 anos em Fukuoka, cidade onde residia.

Nascida a 2 de janeiro de 1903 na antiga aldeia de Wajiro, que agora faz parte da cidade de Fukuoka, Kane Tanaka morreu num hospital naquela cidade no passado dia 19, com 119 anos e 108 dias.

Kane Tanaka, que se casou aos 19 anos, viveu em cinco épocas diferentes do Japão (Meiji, Taisho, Showa, Heisei e a atual Reiwa) e tinha estabelecido o objetivo de comemorar os 120 anos no próximo ano, segundo a sua família.

Já há alguns anos que residia num lar de idosos e a sua presença era habitual em artigos japoneses e programas de televisão por ocasião do seu aniversário ou da celebração nacional do Dia do Respeito pelos Idosos.

O chocolate era o seu alimento preferido e também gostava de bebidas gaseificadas, como foi visto muitas vezes em fotografias e vídeos transmitidos pelos meios de comunicação locais.

A idosa esteve para transportar a tocha olímpica dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020, adiados para 2021, mas o agravamento da pandemia de covid-19 no país impediu que esse objetivo se concretizasse.

PUB

Kane Tanaka estava reconhecida desde 2019 pelo Grupo de Investigação em Gerontologoa (GRG, sigla em inglês) e pelo Guinness World Record como a mulher e a pessoa mais velhas do mundo.

Com a sua morte, a freira francesa Lucile Randon, mais conhecida como Irmã André, que hoje tem 118 anos e 74 dias, passa a deter esse título.

A japonesa mais idosa é agora Fusa Tatsumi, que hoje completa 115 anos, e é também a quinta pessoa mais velha do mundo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG