Rússia

Enfermeira suspensa por trabalhar de roupa interior e fato transparente

Enfermeira suspensa por trabalhar de roupa interior e fato transparente

A Ordem dos Médicos russa saiu em defesa de uma enfermeira suspensa por usar apenas roupa interior por baixo de um fato de proteção transparente no atendimento a doentes com covid-19.

"Devemos prestar atenção ao fato de proteção, que não cumpre os requisitos", e não à roupa interior, disse Anastasia Vasilyeva, presidente da Ordem dos Médicos da Rússia, citada pela imprensa local.

"Em primeiro lugar, um fato de proteção contra pragas nunca devia ser transparente. E devia ser feito de outro material", acrescentou Anastasia Vasilyeva, mostrando-se disponível para ajudar a enfermeira a lutar contra a suspensão.

A jovem, de 23 anos, identificada apenas como Nadia, já teve o apoio de pelo menos um político local. "Em caso algum esta enfermeira deve ser punida. Sou completamente contra", disse Vitaly Milonov, do Partido Rússia Unida, citado pelo jornal Komsomolskaya Pravda.

Nadia tem, também, o apoio público do ex-pugilista Nikolai Valuev, que chegou a pedir aos pacientes para não apresentarem queixa contra a enfermeira, escreve o jornal desportivo espanhol "Marca".

Ex-campeão do Mundo de pesos pesados da Associação Mundial de Boxe, Valuev tem 2,13 metros e pesa 150 quilos. Um forte corpo argumentário a favor de Nadia, a que junta fama mundial, para apelar a que as pessoas escrevam às autoridades a pedir o perdão da enfermeira.

Um apelo que parece ter surtido efeito, uma vez que não houve queixas dos utentes. No entanto, os superiores hierárquicos de Nadia pensaram de forma diferente. A jovem foi suspensa do Hospital Regional de Tula por "não respeitar os requerimentos exigidos para a roupa médica", segundo a imprensa local.

A enfermeira defendeu-se e disse que não se apercebeu que se via a roupa interior por baixo do fato de proteção pessoal e que tinha muito calor para usar roupa com o fato completo de vinil, usado como proteção no atendimento a doentes com covid-19.

Argumentos que não colheram junto da delegação regional do Ministério da Saúde russo, que anunciou "uma punição à enfermeira" do departamento de doenças infecciosas, acrescenta o tabloide britânico "The Sun", sem especificar qual o castigo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG