Diplomacia

"Não sejas tolo". A carta em que Trump ameaça Erdogan por causa da Síria

"Não sejas tolo". A carta em que Trump ameaça Erdogan por causa da Síria

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviou uma carta a Recep Tayyip Erdoğan, presidente da Turquia, avisando-o para "não ser tolo". A carta foi endereçada aquando da incursão do exército turco no nordeste da Síria.

"Vamos trabalhar num bom acordo", escreveu Donald Trump numa carta, enviada a Erdoğan, no dia 9 de outubro, cuja autenticidade, explica o jornal "The Guardian" , foi confirmada junto de diversas fontes.

Poucos dias depois de ter retirado as tropas norte-americanas do nordeste da Síria, abrindo caminho ao avanço das tropas turcas contra os curdos, Trump ameaçou Erdoğan de que destruiria a economia de Ancara se a invasão fosse longe de mais.

"Não queres ser o responsável por matar milhares de pessoas, e eu não quero ser o responsável por destruir a economia turca - que farei", escreveu Donald Trump. "Não sejas duro. Não sejas tolo", acrescentou.

Comunidade internacional surpreendida com "carta fora do comum"

Erdoğan "recebeu a carta, rejeitou-a e lançou-a no lixo", confirmaram, à BBC, fontes do gabinete presidencial turco. O Kremlin também questionou o tom da carta. "Não é comum ver uma linguagem destas em correspondência entre chefes de Estado. É uma carta pouco comum", disse, Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin.

Também nos EUA, principalmente por parte dos democratas, a reação é de surpresa. "Eu pensei mesmo que fosse uma brincadeira, uma piada, que não poderia vir da Casa Branca", declarou o congressista Mike Quigley, em declarações à CNN. "Parece que o presidente dos EUA, numa espécie de lapso, escreveu raivosamente o que lhe vinha à cabeça", adiantou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG