Revista Nature

Novo coronavírus detetado no ar mas não se sabe se pode contagiar desta forma

Novo coronavírus detetado no ar mas não se sabe se pode contagiar desta forma

Foi publicado esta segunda-feira na revista científica "Nature" um estudo que verificou a existência do novo coronavírus em suspensão no ar, sem no entanto confirmar se esta pode ou não ser uma forma de contágio.

O estudo detetou a presença do vírus suspenso no ar de dois hospitais da cidade de Wuhan, epicentro da pandemia, na China.

O material genética do vírus foi detetada em aerossóis, pequenas partículas que pairam no ar, sobretudo em zonas comuns não ventiladas, como casas de banho ou as salas onde os profissionais de saúde trocam de roupa.

A investigação intitulada "Análise aerodinâmica de SARS-CoV-2 em dois hospitais de Wuhan" aponta para que o vírus se espalhe em locais com muita gente e sem ventilação, mas não confirma que esta seja uma forma de contágio.

Os dados recolhidos na cidade chinesa, entre fevereiro e março, mostraram ainda que a presença do vírus era reduzida para "níveis indetetáveis ​​após a implementação de procedimentos rigorosos de higienização".

No entanto, de acordo com os autores do trabalho não foi possível verificar se a presença de RNA (material genético) do vírus que causa a Covid-19 no ar poderia causar a infeção. "Embora não tenhamos estabelecido a infetividade do vírus detetado nessas áreas hospitalares, propomos que o SARS-CoV-2 possa ter o potencial de ser transmitido por aerossóis", escreve a equipa no artigo submetido à "Nature".

A conclusão leva os investigadores a propor "a ventilação dos espaços, a higienização do vestuário de proteção e o uso e desinfeção adequados dos sanitários" para limitar a concentração de material genético do SARS-CoV-2 nos aerossóis, estimando que os trabalhos futuros vão passar por perceber se há ou não casos de infeção que resultam da presença do vírus nessas pequenas partículas suspensas no ar.

A Organização Mundial de Saúde tem explicado repetidamente que o contágio do novo coronavírus se dá pela transmissão através de pequenas gotículas quando uma pessoa infetada tosse, espirra ou fala. Daí que recomende o distanciamento social e a lavagem frequente das mãos para evitar a transferência do vírus após tocar numa superfície contaminada.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG