O Jogo ao Vivo

Turquemenistão

O "Portão do Inferno" vai ser fechado

O "Portão do Inferno" vai ser fechado

O presidente do Turquemenistão ordenou aos cientistas do país que encontrassem uma forma de finalmente extinguir um incêndio maciço de cinco décadas numa gigantesca cratera de gás natural, apelidada de "Portão do Inferno".

Citando preocupações ambientais e económicas, Gurbanguly Berdymukhamedov apareceu na televisão estatal, este sábado, a dizer aos responsáveis públicos para apagarem as chamas na cratera de gás de Darvaza, no meio do vasto deserto de Karakum, naquele país da Ásia Central.

Em 2010, Berdymukhamedov já tinha ordenado aos peritos que encontrassem uma forma de apagar as chamas que têm vindo a arder desde que uma operação de perfuração soviética em busca de gás natural cometeu um erro, em 1971. O presidente, Gurbanguly Berdymukhamedov, afirma que a cratera feita pelo homem "afeta negativamente tanto o ambiente como a saúde das pessoas que vivem nas proximidades".

"Estamos a perder recursos naturais valiosos pelos quais poderíamos obter lucros significativos e utilizá-los para melhorar o bem-estar do nosso povo", disse Berdymukhamedov na intervenção televisiva.

A cratera foi criada em 1971 durante um acidente de perfuração que atingiu um depósito natural de gás, causando a queda da plataforma de perfuração e o colapso da terra por baixo da mesma. Para evitar que os fumos perigosos se espalhassem, os soviéticos decidiram queimar o gás, ateando-lhe fogo.

O poço tem estado em chamas desde então e as tentativas anteriores para o apagar não tiveram sucesso.

PUB

A cratera resultante - 70 metros de largura e 20 metros de profundidade - é uma atração turística popular no antigo país soviético.

Em 2018, o presidente renomeou-a oficialmente como o "Brilho de Karakum".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG