O Jogo ao Vivo

Em atualização

Cheias fazem 59 mortos na Alemanha e seis na Bélgica

Cheias fazem 59 mortos na Alemanha e seis na Bélgica

Pelo menos 59 pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas em resultado de fortes tempestades e chuvas torrenciais que atingiram a zona ocidental da Alemanha nas últimas horas. Na Bélgica, o mau tempo causou seis vítimas mortais.

Segundo o último balanço oficial, há 59 vítimas mortais na Alemanha na sequência de enchentes que transformaram ruas e riachos em torrentes violentas, destruindo carros e causando o desabamento de alguns prédios. Pelo menos dois bombeiros estão entre os óbitos até agora registados. Há dezenas de pessoas desaparecidas.

Na cidade de Koblenz, no oeste da Alemanha, cerca de 50 ficaram presas nos telhados das casas a aguardar resgate. E no condado de Rhine-Sieg, ao sul de Colónia, as autoridades ordenaram a evacuação de várias localidades próximas do reservatório Steinbachtal por receios da segurança de uma barragem.

Na terça-feira foi a Baviera, no sul do país, a ser duramente atingida, tendo sido declarado mesmo o estado de desastre natural no distrito de Hof, devido ao alagamento das estradas. As ligações ferroviárias foram suspensas em grande parte da Renânia do Norte-Vestfália, o Estado mais populoso da Alemanha. E as regiões de Sarre, Mecklembourg-Pomerânia (nordeste da Alemanha), foram colocadas em alerta de tempestade.

PUB

Na Bélgica, nas últimas horas, há registo de seis mortos devido às fortes chuvas que causaram graves perturbações em algumas províncias, incluindo o encerramento de estradas e a interrupção do transporte ferroviário.

A área mais afetada é a região da Valónia, em particular as províncias de Liège (leste do país) e Luxemburgo (sul).

Duas mortes ocorreram nas cidades de Eupen e Aywaille, ambas em Liège, confirmadas pelas autoridades locais, informou o diário "Le Soir". Outros quatro corpos sem vida foram encontrados em Verviers, também na província de Liège.

As autoridades da cidade de Valkenburg, no sul da Holanda, perto das fronteiras com a Alemanha e a Bélgica, evacuaram uma casa de repouso e um hospital psiquiátrico durante a noite devido à enchente que transformou a rua principal da cidade turística num rio, informaram os meios de comunicação holandeses.

O governo enviou cerca de 70 soldados para a província de Limburg, no sul do país, na noite de quarta-feira, para ajudar nas tarefas de emergência e resgate, incluindo o transporte de deslocados e o enchimento de sacos de areia para tentar travar as águas dos rios transbordam.

Chuvas excecionalmente intensas também inundaram uma parte do nordeste da França esta semana, derrubando árvores e forçando o fechamento de dezenas de estradas.

Uma linha de comboios para o Luxemburgo foi interrompida e os bombeiros retiraram dezenas de pessoas de casas perto da fronteira com Luxemburgo e Alemanha e na região de Marne, de acordo com a emissora local France Bleu.

O equivalente a dois meses de chuva caiu em algumas áreas nos últimos dois dias, de acordo com o serviço nacional de meteorologia de França. Com o solo já saturado, a previsão é de mais chuvas hoje e divulgou alertas de inundação para dez regiões.

Alguns rios no norte da Suíça também transbordaram devido à intensa precipitação. As chuvas torrenciais obrigaram ainda ao corte de um trecho da estrada localizada nas margens do lago Léman, o maior da Suíça e que banha cidades como Genebra ou Lausanne.

Em diferentes áreas do país foram emitidos avisos de alerta, com os cidadãos a serem aconselhados a limitar as deslocações e a evitar zonas próximas de lagos e rios.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG