"Sedição"

Polícia de Hong Kong detém seis membros de portal de notícias

Polícia de Hong Kong detém seis membros de portal de notícias

A polícia de segurança nacional de Hong Kong deteve seis membros atuais ou antigos de um meio de comunicação online sob a acusação de "publicação sediciosa", noticiou a emissora RTHK.

Mais de 200 agentes fardados e à paisana foram destacados para revistar o escritório do portal de notícias "Stand News" no distrito de Kwun Tong, informou a polícia, indicando que as casas dos detidos também foram alvo de buscas.

Os detidos são três homens e três mulheres, com idades entre os 34 e os 73 anos, acrescentou a Rádio Televisão Hong Kong (RTHK).

De acordo com a RTHK, o atual diretor do "Stand News" Patrick Lam e o antigo diretor Chung Pui-kuen foram detidos, bem como os antigos membros da direção Denise Ho, cantora e ativista pró-democracia, Margaret Ng, advogada e ex-membro do Conselho Legislativo local, Christine Fang e Chow Tat-chi.

Numa declaração, a polícia salientou que os detidos violaram as secções 9 e 10 de uma lei colonial sobre "sedição", datada de 1938 e esquecida durante décadas.

Portal fecha atividade

"A polícia deteve esta manhã vários funcionários superiores e antigos funcionários superiores da empresa, levou um certo número de pessoas para ajudar na investigação e apreendeu vários computadores e alguns documentos dos escritórios", disse a "Stand News" em comunicado divulgado na sua página oficial na rede social Facebook.

PUB

Em resposta, o portal de notícias "cessou imediatamente as operações, incluindo o website e todas as atualizações dos meios de comunicação social, e irá removê-las ao longo do dia".

O editor chefe demitiu-se e todo o pessoal da Standpoint News foi despedido com efeito imediato.

A Associação de Jornalistas da antiga colónia britânica afirmou estar profundamente preocupada com estas detenções, notando que, este ano, a polícia deteve vários responsáveis de meios de comunicação social e realizou buscas nos escritórios.

Em comunicado, a associação pediu ao Governo de Hong Kong para proteger a liberdade de imprensa de acordo com a Lei Básica.

O "Stand News", considerado popular entre a oposição local, é a segunda empresa de comunicação social de Hong Kong a ser visada pelas autoridades.

Em junho, o jornal "Apple Daily" fechou, depois de os bens terem sido congelados e os executivos detidos, ao abrigo da lei de segurança nacional imposta por Pequim em julho de 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG