Vacinação

Regulador dos EUA pede suspensão da toma da vacina Johnson & Johnson

Regulador dos EUA pede suspensão da toma da vacina Johnson & Johnson

O regulador de medicamentos norte-americano, a FDA, e o Centro de Controlo de Doenças (CDC) do país pediram uma pausa na administração da vacina da Johnson & Jonhson, para que se possa analisar seis casos de doença com coágulos sanguíneos.

Segundo avança o "The New York Times", seis mulheres, com idades entre 18 e 48 anos, desenvolveram uma condição rara de coagulação do sangue, duas semanas depois de receberam a vacina, que é de dose única. Os sintomas surgiram entre seis a 13 dias depois da vacinação. Para além dos coágulos, foram registadas contagens de plaquetas reduzidas.

Uma mulher morreu e outra foi hospitalizada e está em estado crítico, segundo o jornal.

"Estamos a recomendar uma pausa no uso desta vacina, por uma abundância de precaução", escrevem, em comunicado, os dois organismos.

"Para já, estes sintomas adversos parecem ser extremamente raros", acrescentam, referindo no entanto que o tratamento para este tipo específico de coágulo sanguíneo é diferente do tratamento que seria administrado tipicamente" nestes casos.

Nos EUA, perto de sete milhões de pessoas receberam esta vacina. Os cientistas das duas entidades vão agora analisar se existem ligações entre a vacina e a doença que surgiu nas seis pacientes. O objetivo é determinar se a vacina continuará a ter autorização para ser usada em todos os adultos ou se será estabelecida alguma restrição - por idade ou outra.

PUB

As primeiras 30 mil doses da vacina desta farmacêutica chegam a Portugal na quarta-feira, sendo esperado que o país receba, ainda durante o segundo trimestre deste ano, 1,25 milhões de doses, do total de 4,5 milhões de doses que o país deverá ter disponíveis ao longo de 2021.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG