Covid-19

Reino Unido suspende vacina da AstraZeneca a menores de 30 anos

Reino Unido suspende vacina da AstraZeneca a menores de 30 anos

Na sequência dos casos de formação de coágulos sanguíneos após administração da vacina da AstraZeneca, o Reino Unido decidiu suspender a inoculação deste composto a menores de 30 anos e dar outra vacina como alternativa.

Às pessoas entre os 18 e 29 anos será dada uma alternativa à vacina da AstraZeneca, anunciou, esta quarta-feira, o comité de apoio ao governo britânico no processo de vacinação.

"É preferível para adultos com menos de 30 anos sem condições de saúde subjacentes que os coloquem em maior risco de doença covid-19 grave receber uma vacina alternativa" à AstraZeneca, refere o Comité Conjunto de Vacinação e Imunização [Joint Committee on Vaccination and Immunisation, JCVI] em comunicado.

O regulador britânico do medicamento (MHRA) atualizou para 19 mortes entre 79 casos que desenvolveram tromboembolismos após receberem a vacina da AstraZeneca - dos quais 51 mulheres e 28 homens - com idades entre 18 e 79 anos.

A possível relação entre esta vacina e a formação de coágulos sanguíneos foi divulgada no final de março, quando já tinham sido administradas 18 milhões de doses da AstraZeneca no Reino Unido. Atualmente este valor já ascende a 21 milhões.

O regulador recomenda que quem já recebeu a primeira dose da vacina da AstraZeneca deve tomar a segunda dose. Só quem sofreu algum dos casos raros de coágulos sanguíneos que foram reportados é que não deve ser vacinado.

PUB

Esta quarta-feira, em conferência de imprensa, Jonathan Van-Tam, responsável pela pasta da Saúde no governo britânico, reiterou que os benefícios continuam a ser muito superiores para uma grande maioria, que os efeitos adversos são muito raros e que a eficácia da vacina está provada.

Também a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) concluiu que os coágulos no sangue devem ser incluídos como efeitos secundários muitos raros na vacina da AstraZeneca. "Enquanto os testes clínicos permitem avaliar efeitos normais, efeitos mais raros só são detetados quando vacina é usada em grande escala", disse a diretora da MHRA, June Raine, numa conferência de imprensa.

A possível ligação da vacina da AstraZeneca e problemas de formação de coágulos sanguíneos levou a ministra da Saúde, Marta Temido, a convocar para esta quarta-feira uma reunião de urgência dos ministros da Saúde da UE, por videoconferência, no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da UE.

Na terça-feira, a Universidade de Oxford anunciou a suspensão dos testes em crianças da vacina que desenvolveu com o laboratório anglo-sueco.

Esta quarta-feira começaram a ser administradas vacinas do laboratório Moderna. Até agora as vacinas da AstraZeneca/Oxford e da Pfizer/BioNtech eram as únicas vacinas incluídas no programa de inoculação que começou em dezembro no Reino Unido.

A limitação do uso da vacina AstraZeneca pode afetar a campanha de vacinação no país com mais mortes atribuídas a covid-19 na Europa, quase 127 mil desde o início da pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG