Relatório parlamentar

Resposta britânica no início da pandemia foi "dos maiores fracassos de sempre"

Resposta britânica no início da pandemia foi "dos maiores fracassos de sempre"

Um relatório do Parlamento britânico sobre a gestão pandémica no Reino Unido arrasa totalmente os esforços do executivo britânico no sentido de impedir a propagação do vírus no início da pandemia e descreve o "fracasso" do país como uma das piores falhas de saúde pública de todos os tempos. A vacinação salva o panorama.

De acordo com os parlamentares, a abordagem do governo de Boris Johnson, apoiada por cientistas, foi a de disseminar a infeção pela população em vez de tentar impedi-la, num plano para alcançar a imunidade de grupo através do contágio, o que levou a um atraso na implementação do primeiro confinamento no Reino Unido (só dois meses depois do surgimento dos primeiros casos). Esta decisão provocou mortes que poderiam ter sido evitadas. O resultado, lê-se no relatório, foi um dos "maiores fracassos de saúde pública que o Reino Unido alguma vez experienciou".

A estratégia foi desenhada para lidar com uma gripe pandémica e avançou com o conselho de consultores científicos do Governo, do Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências (Sage, na sigla em inglês), indica o documento. A falta de contestação política e científica em todo o Reino Unido delineou um "pensamento de grupo", aponta o relatório, que também responsabiliza por isso algumas partes da Europa e sublinha a falta de abertura a outro tipo de abordagens adotadas em outros lugares do mundo, como na Ásia, onde os países impuseram controlos de fronteira rígidos assim que o vírus começou a circular.

As conclusões constam de um relatório de 150 páginas da Comissão de Saúde e Assistência Social e da Comissão de Ciência e Tecnologia, que agregam deputados de todo o espetro político. "Coronavírus: Lições aprendidas até agora" cobre uma variedade de sucessos e fracassos ao longo da pandemia, que já custou mais de 150 mil vidas e que é descrita como o "maior desafio em tempos de paz" do último século.

Notando que, numa pandemia, é "impossível fazer tudo certo", os conservadores Jeremy Hunt e Greg Clark, que presidem às comissões, consideraram que "o Reino Unido combinou algumas grandes conquistas com alguns grandes erros" e que "é vital aprender com ambos".

Vacinação foi "uma das iniciativas mais eficazes na história" do país

Entre a catástrofe que é o balanço sobre a ação do Governo durante o início da pandemia, o relatório - que se foca predominantemente nas medidas tomadas em Inglaterra, não tendo analisado as que foram implementadas individualmente pelo País de Gales, Irlanda do Norte e Escócia - aponta, por outro lado, o sucesso que foi o programa de vacinação, desde a investigação e desenvolvimento das vacinas, até ao lançamento de toda a operação logística, tendo este sido descrito como "uma das iniciativas mais eficazes na história do Reino Unido".

PUB

O Governo já anunciou que, no próximo ano, haverá um inquérito público completo à gestão da pandemia. "Nunca nos esquivámos de tomar medidas rápidas e decisivas para salvar vidas e proteger o nosso Serviço Nacional de Saúde, incluindo a introdução de restrições e confinamentos. Graças a um esforço nacional coletivo, evitámos que os serviços do NHS ficassem sobrecarregados", disse um porta-voz, citado pela BBC.

Mas Jonathan Ashworth, o ministro-sombra da Saúde do Partido Trabalhista - o membro da oposição responsável por escrutinar o trabalho do governo naquela área - descreveu as "maltidas" conclusões como representativas de "erros monumentais". E o grupo que representa as famílias que perderam entes queridos durante a pandemia ("Covid-19 Bereaved Families for Justice") criticou os autores do relatório por não terem falado com nenhum familiar das vítimas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG