Acontecimento internacional 2021

Talibãs assumem poder no Afeganistão 20 anos depois

Talibãs assumem poder no Afeganistão 20 anos depois

Duas décadas após a invasão dos EUA, em resposta aos ataques de 11 de setembro, os talibãs voltaram a reinar.

O ano de 2021 vai deixar marcas que, certamente, se irão perpetuar nos livros de História. O drama político, económico e humano tomaram conta dos últimos meses e no Afeganistão assistiu-se à junção destes cenários. Este foi o acontecimento internacional do ano para os jornalistas do JN.

Ao fim de quase 30 anos de vaivém, os talibãs conseguiram retomar o poder e voltaram a controlar grande parte do país. Nos últimos anos, conseguiram alavancar o poder através da construção de um império que lhes permitiu avançar para o controlo do Afeganistão em agosto deste ano.

Este processo alcançou o auge quando Joe Biden, presidente dos EUA, anunciou que iria retirar as tropas do país, operação que foi concluída a 31 de agosto. Em poucas semanas, os talibãs assumiram o controlo da maioria das províncias e chegaram a Cabul quando ainda estava em curso a retirada das tropas.

Na retoma do poder, os radicais desencadearam intensos combates que fizeram milhares de mortos e feridos. Mulheres e crianças têm sido as principais vítimas da nova conduta, sendo privadas de direitos básicos, como trabalhar ou estudar. Por sua vez, os homens já sabem o que o futuro lhes reserva: ingressar pela via da força, nem que seja, literalmente, à força.

Regresso ao passado

Tudo isto não é propriamente novidade. Os talibãs já estiveram no poder, controlando o Afeganistão entre 1996 e 2001. Na época, foram seguidos princípios radicais que também privaram a sociedade de vários direitos. No entanto, tudo mudou depois do ataque terrorista de 11 de setembro de 2001. A ofensiva a Washington fez com que os EUA invadissem Cabul e conseguissem conter o poder talibã no país.

PUB

Duas décadas depois, o povo afegão voltou a cair nas mãos dos radicais. Sem meios para combater as imposições, homens, mulheres e crianças vivem sob apertadas regras que os fazem ver o Ocidente como um horizonte longínquo. Não podem ouvir música, não podem ver filmes nem sequer televisão. Mas, pior: não podem decidir o rumo do próprio caminho.

A ânsia de viver uma vida melhor ainda lhes alimenta a alma, e é com esse desejo que muitos tentam refugiar-se na Europa. Uma Europa que agora está repleta de migrantes que tentam reconstruir os percursos que foram interrompidos.

Sem reconhecimento internacional e alvo de sanções, o Governo de Cabul está a braços com uma crise económica e humanitária.

Recentemente, o Executivo do Afeganistão anunciou uma proposta de Orçamento do Estado que será financiado, pela primeira vez em 20 anos, sem ajudas internacionais. No entanto, neste caso, a autonomia pode não ser um bom indício, sobretudo quando a maior parte da população está a vivenciar uma grave crise alimentar.

Invasão ao Capitólio - Tentativa de golpe de Estado falhada

Cinco mortos, 140 feridos e mais de 700 processos-crime resultaram da Invasão ao Capitólio, a 6 de janeiro de 2021. Trump esteve envolvido na operação.

Onda migratória - Procura de asilo longe de casa aumentou

Apesar da pandemia, 2021 assistiu a um grande aumento deste fenómeno, sendo que a Europa é a região do planeta que mais migrantes tem recebido.

Turismo espacial - Viagens às estrelas ganharam fôlego

O verdadeiro impulso ao turismo espacial sucedeu este ano, com três multimilionários a fazerem esta viagem: Richard Branson, Jeff Bezos e Elon Musk.

Matérias-primas - Inflação após falha nas cadeiras logísticas

No que se esperava ser um ano de recuperação, 2021 ficou marcado por uma escassez de matérias-primas que se foi intensificando ao longo dos meses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG