EUA

Donald Trump corta financiamento à OMS

Donald Trump corta financiamento à OMS

Donald Trump anunciou o corte do financiamento à Organização Mundial de Saúde, levantando dúvidas sobre a seriedade da organização no combate à pandemia de Covid-19.

"Hoje, dei instruções à minha administração para suspender o financiamento à Organização Mundial de Saúde, enquanto estiver a ser feita uma investigação para avaliar o papel da OMS na profunda má gestão e ocultação da propagação do coronavírus", anunciou o presidente norte-americano, numa conferência de imprensa em que acusou o organismo de falhar os objetivos.

"Toda a gente sabe o que se passa lá. Os contribuintes norte-americanos pagam entre 400 e 500 milhões de dólares (entre 364 e 455 milhões de euros) por ano à OMS. Já a China contribui com 40 milhões de dólares (mais de 36 milhões de euros) por ano ou talvez até menos. Como principal patrocinador da organização, os EUA têm o dever de insistir na total responsabilização. Uma das decisões mais perigosas da OMS foi a sua decisão desastrosa de se opor a restrições nas viagens a partir da China e de outros países", apontou Donald Trump.

Justificando a razão pela qual vai fechar a torneira à Organização Mundial de Saúde, o presidente norte-americano acusou a instituição de ter falhado na "recolha e transmissão transparente" de informação aos países afetados pelo vírus.

As críticas não são de agora. Na semana passada, Donald Trump já tinha ameaçado a hipótese de os Estados Unidos cortarem o financiamento. "Damos-lhes aproximadamente 500 milhões por ano... Mas vamos falar desse tema para a semana. Eles têm sido muito centrados na China. Não gosto disso", tinha dito na sexta-feira.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG