O Jogo ao Vivo

Violência

Uso de drogas terá levado a massacre no Canadá, diz líder indígena

Uso de drogas terá levado a massacre no Canadá, diz líder indígena

O líder da federação das Nações Indígenas Soberanas do Canadá disse que os esfaqueamentos que causaram dez mortos e 15 feridos em duas comunidades indígenas da província de Saskatchewan podem estar relacionados com drogas.

"Esta é a destruição que enfrentamos quando drogas ilegais nocivas invadem as nossas comunidades", disse o chefe Bobby Cameron.

"Exigimos que todas as autoridades tomem a direção dos chefes e Conselhos e seus membros para criar comunidades mais seguras e saudáveis para o nosso povo", disse o líder da federação indígena.

PUB

A comissária da Polícia Montada do Canadá, Rhonda Blackmore, confirmou que foram localizados "dez mortos em 13 locais" em duas comunidades da Nação James Smith Cree Nation e na cidade vizinha de Weldon, ambas em Saskatchewan, no centro do país.

De acordo com as investigações preliminares, algumas vítimas foram esfaqueadas intencionalmente, enquanto outras foram agredidas de forma aleatória.

As autoridades da Nação James Smith Cree declararam o estado de emergência e criaram dois centros de operações de emergência para "prestar apoio à saúde às três comunidades" na reserva.

Calvin Sanderson, chefe da comunidade Chakastaypasin, que faz parte da Nação James Smith Cree, disse que toda a comunidade foi afetada pelos esfaqueamentos. "Eram nossos familiares (...) é bastante horrível", salientou.

As forças de segurança continuam a tentar localizar os presumíveis autores dos ataques de domingo Damien Sanderson e Myles Sanderson, de 31 e 30 anos, respetivamente.

A polícia de Regina referiu estar a trabalhar, com o apoio da Polícia Montada, em várias frentes para deter os suspeitos, tendo "mobilizado recursos adicionais para a segurança pública em toda a cidade", de acordo com um comunicado.

Os suspeitos foram avistados pela primeira vez em Regina, capital de Saskatchewan, mas o alerta e as operações de busca estenderam-se às vizinhas províncias de Manitoba e Alberta, uma vasta região com metade do tamanho da Europa.

Rhonda Blackmore acrescentou que, além das dez vítimas mortais, várias pessoas ficaram feridas, 15 das quais tiveram de ser transportadas para diferentes hospitais.

A autoridade de Saúde de Saskatchewan, citada pela agência de notícias Associated Press, avançou que várias vítimas estavam a ser tratadas em diversos locais.

"Foi emitido um pedido de pessoal adicional para responder ao afluxo de vítimas", disse a porta-voz da autoridade, Anne Linemann.

Os ataques são "horríveis e perturbadores", disse o primeiro-ministro canadiano Justin Trudeau, na rede social Twitter.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG