Distinção

A "Professora do Ano 2021" ensina TIC em São Tomé e Príncipe

A "Professora do Ano 2021" ensina TIC em São Tomé e Príncipe

O mérito como docente nas escolas onde trabalhou e a disponibilidade de partilha de experiências com os colegas são as características que valeram o prémio de "Professora do Ano 2021" a Carla Pereira Menino. Atualmente, a professora de informática leciona na Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe. Esta é a 4.ª edição do prémio atribuído pela Casa das Ciências.

Carla Pereira Menino declarou ao JN que receber o prémio "foi uma surpresa" e uma "enorme honra" por lhe terem reconhecido "competência no trabalho" que desenvolve. Professora de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na Escola Manuel Laranjeira em Espinho, mudou-se em setembro de 2020 com o marido e os dois filhos, um com 4 e outro com 6 anos, para São Tomé e Príncipe.

O voluntariado que realizou entre 2012 e 2013 no sul de São Tomé, com o marido, ao serviço da ONGD Leigos para o Desenvolvimento, como agente de desenvolvimento, levou-a dar aulas de TIC na Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe. O facto de ter vivido "um ano sem eletricidade e sem tecnologia" fez-lhe "ver o mundo com outros olhos". Passou a encarar o que fazia com um "espírito de missão" . Foi a partir desse momento que nasceu a sua "paixão por São Tomé" e levou-a a "querer voltar". "Devemos sempre voltar ao local onde fomos felizes!", disse.


A sua ação de voluntariado levou o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação a reconhecer-lhe o estatuto de agente da cooperação.

Em África desenvolveu alguns projetos de relevância. O projeto "Africa Code Week (ACW)", da sua responsabilidade, foi relevante no ensino da tecnologia e da sua envolvência na aprendizagem em geral. "Acredito que as redes sociais - a tecnologia - tiveram um papel preponderante para o júri saber que eu existo e o trabalho que temos vindo a desenvolver no âmbito da literacia e inclusão digital", referiu Carla Pereira Menino. "Mais que educativo, o ACW é um projeto social, que inicia jovens de todo o país na programação informática. E que tem uma preocupação com o empoderamento das raparigas, que são um grupo vulnerável em África", prosseguiu.

"Nada ficará igual nas escolas"

Durante o estado de calamidade em S. Tomé e Príncipe, a professora foi essencial na facilitação do processo das aulas online, na configuração e organização de todas as disciplinas e turmas com a criação da plataforma Classroom.

PUB

Em seu entender, "o contexto pandémico deu-nos o melhor exemplo da importância da tecnologia na aprendizagem", afirmou Carla Pereira Menino. "Com o encerramento das escolas, foi a tecnologia que permitiu que os alunos continuassem a aprender e mantivessem a relação com a escola. Não foi assim em todo o mundo, infelizmente". Defende que a tecnologia ganhará ainda maior destaque no ensino. "Esta experiência de ensino à distância irá mudar a forma como se ensinará num futuro próximo. Nada vai ficar igual nas escolas".

A Casa das Ciências refere, em comunicado, que o prémio é um reconhecimento do "seu trabalho docente na escola e na partilha das suas experiências com toda a comunidade docente, nomeadamente na iniciação às questões das Tecnologias da Informação aos mais novos". Carla Pereira Menino desenvolve "uma reconhecida atividade de mérito" em São Tomé e Príncipe.

Incentiva a "voar mais alto"

Nos testemunhos recolhidos pela Casa das Ciências, uma colega da professora de informática, Maria José Ferreira Álvares, professora e delegada de grupo da secundária Manuel Laranjeira, afirma que Carla Menino "está sempre a querer fazer mais pelo agrupamento, a tentar implementar alguma ideia nova, como foi o caso das vigilâncias dos professores serem consultadas no site do agrupamento; como o Clube de Robótica com os nossos lindos Mbots que foram adquiridos pelo seu esforço". "Tenta que todos os que a rodeiam consigam voar mais alto, na sua carreira profissional e na sua vida pessoal, incentivando-os a acreditarem nas suas potencialidades. Está sempre disponível para nos ouvir, quer a nível pessoal, quer a nível profissional", disse a professora.

Carla Pereira Menino licenciou-se em Informática de Gestão pela Universidade Portucalense Infante D. Henrique em 1999. Entre 2003 e 2005, profissionalizou-se na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, tendo concluído posteriormente (em 2012) uma Pós-graduação, em Sistemas Gráficos e Multimédia no Instituto Superior de Engenharia do Porto. A professora recordou que foi no Colégio dos Carvalhos que iniciou o seu percurso, "fui aluna e tive os meus ex-professores como colegas de trabalho e muito me ajudaram. Foi uma experiência engraçada".

Relativamente ao seu trabalho na Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe, a professora refere que "a diretora proporciona aos professores "boas condições de trabalho" e que "os alunos gostam muito de aprender e de se envolverem nos projetos", o que faz com que a relação com estes seja "ótima". "Acreditar nas potencialidades" dos estudantes e dar-lhe "autonomia" é o seu método.

A Casa das Ciências é um projeto associado ao EDULOG, Fundação Belmiro de Azevedo, focado na melhoria da aprendizagem das ciências nas nossas escolas, disponibilizando a todos os seus visitantes um repositório de recursos digitais, um banco de imagens e uma enciclopédia de termos científicos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG